Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento tecnológico e produtividade na Agricultura de São Paulo: Ribeirão Preto, 1875-1920

Processo: 10/20201-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2011
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia
Pesquisador responsável:Renato Perim Colistete
Beneficiário:Renata Cipolli D'Arbo
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Agricultura   Ribeirão Preto (SP)   História econômica   Produtividade   Desenvolvimento econômico   Tecnologia

Resumo

O tema do projeto de pesquisa é a evolução da tecnologia e da produtividade na agricultura em São Paulo, mais particularmente na região de Ribeirão Preto, no Noroeste paulista entre o final do século XIX e o início do século XX. Ribeirão Preto foi o principal produtor de café no chamado "Oeste novo paulista", que teve uma excepcional expansão econômica a partir do final do século XIX. O período coberto pela pesquisa permitirá acompanhar a emergência do café e de outras culturas em Ribeirão Preto, sua consolidação e diversificação; além de caracterizar a direção, o ritmo da evolução tecnológica, o processo de difusão de invenções e inovações, e a evolução da produtividade agrícola entre o final do século XIX e início do século XX. O interesse dos historiadores econômicos pelo tema do progresso técnico está diretamente relacionado com o seu impacto sobre a produtividade. Contudo, a literatura teórica e histórica que trata da tecnologia e da produtividade apresenta importantes controvérsias conceituais e dificuldades metodológicas relacionadas ao tema, sobretudo a mensuração do impacto do progresso técnico na produtividade. Além disso, a historiografia que trata da tecnologia e da produtividade no Brasil é relativamente escassa, havendo importantes questões que ainda precisam ser investigadas de forma mais detalhada. A perspectiva de certo modo inovadora que adotamos busca combinar fontes tanto qualitativas quanto quantitativas. As principais fontes incluem, além da historiografia relevante, publicações do período, estudos especializados da época e, do ponto de vista quantitativo, inventários post-mortem, registros de patentes, estatísticas e censos agrícolas, com destaque para a Estatística Agrícola de 1905 e o Recenseamento do Brazil de 1920.