Busca avançada
Ano de início
Entree

Uma abordagem experimental da extinção do condicionamento entre estímulos ambientais e os efeitos reforçadores de drogas de abuso: intervenções farmacológicas e sociais

Processo: 10/18066-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2011
Vigência (Término): 30 de novembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Monica Levy Andersen
Beneficiário:Daniela Fukue Fukushiro
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/10069-8 - Efeitos do estabelecimento de laços sociais sobre a extinção do condicionamento entre estímulos ambientais e os efeitos reforçadores da anfetamina: papel de receptores dopaminérgicos em uma espécie monogâmica de roedores (Microtus ochrogaster), BE.EP.PD
Assunto(s):Transtornos relacionados ao uso de substâncias   Antipsicóticos   Modelos animais   Imuno-histoquímica

Resumo

Doença ainda desprovida de tratamentos completamente efetivos, a dependência química está criticamente associada a um condicionamento entre os efeitos reforçadores das drogas de abuso e os estímulos ambientais que acompanham seu uso. Após repetidos pareamentos, tais estímulos ambientais, anteriormente neutros, adquirem propriedades de estímulos condicionados, levando ao fenômeno de recaída. Assim, a extinção desse condicionamento consiste em um processo fundamental para o tratamento da dependência química. Recentemente, verificamos em nosso laboratório, por meio do modelo animal de sensibilização comportamental, que a administração de drogas neurolépticas durante o processo de extinção pode potencializar esse processo de forma marcante. Com efeito, o condicionamento prévio dos efeitos reforçadores (dopaminérgicos) das drogas de abuso a estímulos ambientais parece ser mais facilmente extinto quando tais estímulos são posteriormente pareados a um estado neuroquímico oposto (bloqueio de receptores dopaminérgicos). Esse fenômeno foi denominado de contra-condicionamento farmacológico ambiental. Paralelamente, enquanto é bem conhecida a participação decisiva do contexto social na dependência química, verificamos uma vez mais em modelo animal (preferência condicionada por lugar) que a dependência química pode ser bidirecionalmente influenciada pelo convívio (durante o tratamento com a droga de abuso) com co-específicos, dependendo do estado de droga dos animais acompanhantes. Especificamente, o convívio com camundongos igualmente tratados com drogas de abuso potencializou a dependência química, enquanto o convívio com animais tratados com neurolépticos foi capaz de atenuá-la. Considerando o caráter multifacetado do fenômeno de dependência química, este projeto tem como objetivo verificar os efeitos isolados e conjuntos do contra-condicionamento farmacológico ambiental e da interação social com co-específicos sob diferentes tratamentos farmacológicos sobre o fenômeno de extinção do condicionamento ambiental a diferentes drogas de abuso: cocaína, etanol e morfina. Três diferentes modelos de dependência química serão utilizados em camundongos: sensibilização comportamental, preferência condicionada por lugar e auto-administração. Concomitantemente, os achados comportamentais obtidos terão seus mecanismos neuroanatômicos investigados por meio de análises imuno-histoquímicas estereológicas. (AU)