Busca avançada
Ano de início
Entree

Aprendizagem espacial e neurogênese hipocampal em camundongos: investigação do papel da via de sinalização intracelular JAK2/STAT3.

Processo: 10/20294-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Pesquisador responsável:Elenice Aparecida de Moraes Ferrari
Beneficiário:Henrique Figueiredo Prado
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Memória espacial   Camundongos   Neurogênese

Resumo

O labirinto aquático de Morris permite o estudo da aprendizagem espacial e de processos mnemônicos que são considerados dependentes do hipocampo. Estudos que investigaram os processos de aprendizagem e memória espacial sugeriram sua importância na regulação da neurogênese no cérebro de animais adultos, aumentando o número de neurônios no giro denteado. Além das evidências da associação entre aprendizagem e memória e neurogênese hipocampal, também há indícios de que algumas citocinas podem atuar como reguladores endógenos da neurogênese em animais adultos através da via JAK2/STAT3, sendo que os efeitos do CNTF, uma citocina da família da IL-6, parecem estar associados à via de sinalização JAK2/STAT3. O inibidor farmacológico para a proteína tirosina-quinase JAK2, AG490 (tyrphostin B42,) foi associado à inibição de proliferação celular e a inibição farmacológica da via JAK2/STAT3 causou déficits de memória operacional em camundongos. O estudo proposto tem como objetivo investigar os efeitos da inibição farmacológica da via JAK2/STAT3 sobre o desempenho de camundongos no teste de memória espacial no labirinto aquático de Morris e sobre o processo de neurogênese hipocampal. Serão utilizados três grupos de camundongos: grupo tratado com o inibidor AG490, tratado com o veículo e grupo não tratado. Os camundongos do grupo inibidor serão tratados com o inibidor AG490, s.c. (10mg/kg) e os animais do grupo veículo receberão injeções com o veículo de diluição da droga (DMSO 5%), durante o período de 6 dias de testes no Labirinto Aquático de Morris. Cada sessão experimental terá duas tentativas, nas quais serão registrados a latência da resposta para encontrar a plataforma, a velocidade de nado e o percurso percorrido na piscina. No último dia será realizado o Probe test. Imediatamente após a última sessão os camundongos serão submetidos à perfusão transcardíaca e os cérebros serão dissecados, congelados e armazenados a -20ºC até a realização dos experimentos de Western blot para a análise da expressão do marcador de neurogênese doublecortina. Os dados de latência e percurso do Teste do Labirinto Aquático de Morris serão analisados através de ANOVA de duas vias com medidas repetidas, seguido pelo Teste de Comparações Múltiplas de Tukey. Os dados da velocidade média de nado durante a realização do teste do labirinto aquático e do Probe test, bem como os dados referentes às análises de Western blot para doublecortina, serão analisados por ANOVA de uma via seguido pelo Teste de Comparações Múltiplas de Tukey.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)