Busca avançada
Ano de início
Entree

Do presente histórico às fissuras da história: a crítica da dominação na Dialética do Esclarecimento

Processo: 10/20227-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2011
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia
Pesquisador responsável:Ricardo Musse
Beneficiário:Ricardo Pagliuso Regatieri
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Teoria sociológica   Teoria crítica

Resumo

No início da década de 1940, tinha lugar no âmbito do Instituto de Pesquisas Sociais de Frankfurt um debate acerca da relação entre economia e Estado motivado pelas experiências da Alemanha nazista, do modelo soviético e do capitalismo dos Estados Unidos pós-crise de 1929. O presente projeto de pesquisa considera que a Dialética do Esclarecimento, finalizada em 1944, pode ser vista como um desdobramento desse debate, apresentando-lhe respostas peculiares. O objetivo do projeto é investigar a constituição e o desenvolvimento da crítica da dominação apresentada no livro. Tendo por cenário os sistemas de capitalismo de Estado, e com vistas a explicá-los, Adorno e Horkheimer crêem fazer-se necessário examinar a questão da dominação, procurando perscrutar o modo pelo qual os aparatos industriais monopolísticos, politicamente orientados, dominam com uma crescente perfeição os homens. Ao levar isso a efeito, se lançam a um exame dos rumos da civilização ocidental, identificando no percurso dela causas que a prendem no círculo de fogo da recaída na barbárie. Dialética do Esclarecimento pretende fazer um balanço das linhas de força do processo civilizatório, tendo por eixo o Esclarecimento em seus nexos com a sociedade e a natureza. O resultado a que o livro chega é a proposição de uma teoria da sociabilidade humana, que se configura como uma crítica do processo civilizatório. Adorno e Horkheimer destacam os desdobramentos de uma razão abstrata que é apontada como motor do processo civilizatório que gera e reproduz a barbárie. Para eles, a planificação vigente no capitalismo de Estado, longe de levar a sociedade a um estágio melhor, radicalizou essa racionalidade instrumental que potencializa a dominação, e a encaminhou ainda mais para a barbárie.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
REGATIERI, Ricardo Pagliuso. Do capitalismo monopolista ao processo civilizatório: a crítica da dominação nos debates no Instituto de Pesquisa Social no início da década de 40 e na elaboração da Dialética do esclarecimento. 2015. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.