Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo clínico laboratorial de pacientes que receberão quimioterapia

Processo: 11/00711-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Marcio Ajudarte Lopes
Beneficiário:Lara Maria Alencar Ramos Innocentini
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Estomatite   Estomatologia   Quimioterapia   Terapia a laser

Resumo

A quimioterapia é um dos tratamentos utilizados para a cura do câncer, e têm como princípio o uso de drogas que alteram o metabolismo das células neoplásicas levando a morte celular. Apesar dos benefícios do tratamento quimioterápico, as drogas também afetam células normais, gerando efeitos colaterais que prejudicam diretamente a qualidade de vida do paciente, tais efeitos podem ser classificados como, agudos (mucosite, xerostomia, candidose, herpes) ocorrem durante o tratamento, e tardios (xerostomia) ocorrem após a conclusão do tratamento. A mucosite é o efeito colateral agudo mais importante, causando principalmente dor e disfagia, o que pode levar, inclusive, à suspensão da terapia, aumentando o tempo e o custo do tratamento, e reduzindo as chances de cura. O uso do laser de baixa potência consiste em uma técnica simples e atraumática na prevenção e tratamento da mucosite oral, sua irradiação corresponde à aplicação local de fonte de luz monocromática de alta densidade que acelera a cicatrização epitelial e reduz a sintomatologia dolorosa do paciente. O tratamento oncológico além de provocar alteração na quantidade da saliva também altera a qualidade da mesma, predispondo efeitos secundários aos tecidos orais. Recentemente, a família de proteínas PLUNC foi identificada no ser humano, sendo descrita em glândulas salivares e outros tecidos, além de fluidos presentes no trato respiratório e saliva, tendo uma participação no sistema imune inato nessas regiões. É provável que as mudanças na saliva, afetem também a PLUNC, a qual pode estar associada ao desenvolvimento de mucosite e outros efeitos colaterais.Sendo assim, os objetivos desse projeto são: a) analisar a prevalência dos efeitos colaterais agudos da quimioterapia, b) verificar a eficácia do laser de baixa potência na prevenção e controle da mucosite oral associada à quimioterapia e c) avaliar a expressão de proteínas PLUNC na saliva de pacientes submetidos à quimioterapia e correlacionar com o grau de xerostomia e mucosite.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
INNOCENTINI, Lara Maria Alencar Ramos. Expressão de SPLUNC na saliva de pacientes submetidos à quimioterapia = : SPLUNC expression in saliva of patients undergoing chemotherapy. 2013. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Odontologia de Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.