Busca avançada
Ano de início
Entree

Metadona nanoencapsulada: farmacocinética e efeitos antinociceptivos em equinos

Processo: 11/00892-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2011
Vigência (Término): 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Stelio Pacca Loureiro Luna
Beneficiário:Nadia Crosignani Outeda
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/08967-0 - Avaliação da dor clínica e experimental em animais, AP.TEM
Assunto(s):Metadona   Dor   Analgesia   Equinos

Resumo

A prevenção e terapêutica da dor apresentam importância clínica em animais, pois a dor compromete diversas funções orgânicas. Estudos para o desenvolvimento de técnicas mais aperfeiçoadas na abordagem da dor merecem atenção. A metadona além de ser um agonista µ, é um antagonista de receptor N-metil D-aspartato (NMDA), bem como inibe a recaptação de norepinefrina, o que poderia contribuir para uma analgesia mais eficiente, tendo em vista que tem sido utilizada com sucesso em seres humanos com dor crônica refratários ao uso de morfina (TRESCOT et al., 2008). As nanopartículas de polímeros biodegradáveis podem prover vetorização de forma sustentada, controlada atuando como carreadores de fármacos, o que aumenta a eficácia terapêutica e diminui os efeitos adversos (SUKHORUKOV et al., 2005). O tratamento da dor com o uso de opioides em equinos tem apresentado limitações pela curta meia vida quando administrados por via parenteral, assim como pelos efeitos colaterais. Uma formulação que permita o efeito terapêutico com menor quantidade de metadona pode, potencialmente, pelo fato de utilizar doses menores, diminuir o custo do tratamento antálgico nos equinos, com uma possível maior eficácia analgésica e menores efeitos adversos, como aumento da atividade locomotora, excitação do SNC e simpático e hipomotilidade intestinal. Desta forma a hipótese deste estudo é que metadona sob a forma nanoencapsulada promova analgesia com doses menores do fármaco e consequentemente com menor risco de efeitos adversos, adicionado de um efeito mais prolongado. Neste contexto, este estudo pretende desenvolver uma formulação de metadona de longa duração para o uso clínico em equinos, avaliando seu efeito antinociceptivo e perfil farmacocinético. As suspensões de nanocápsulas serão preparadas mediante método de deposição interfacial de polímeros pré-formados, para posterior esterilização e estudo de estabilidade. Seis equinos adultos receberão por vía IV e oral, tanto a formulação de metadona livre como a nanoencapsulada na dose de 0,4 mg/kg. Serão realizados estudos farmacocinéticos em amostras de soro e de liquido cefalorraquidiano mediante análise compartimental e não compartimental, com metodologia analítica de cromatografia líquida de alta eficiência. Para o estudo farmacodinâmico serão realizadas as avaliações nociceptivas por estímulo térmico e elétrico e motilidade intestinal por escores de auscultação, correlacionando-se com o perfil farmacocinético. Ao final do experimento prevê-se uma patente para a nova formulação. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Pesquisadores criam escalas para avaliação da dor em bovinos, equinos e suínos 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.