Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da pré-maturação in vitro de oócitos com moduladores de AMPc e do uso de modificadores epigenéticos sobre a competência oocitária e desenvolvimento embrionário em bovinos

Processo: 10/20744-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2011
Vigência (Término): 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Joaquim Mansano Garcia
Beneficiário:Naiara Zoccal Saraiva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Biotecnologia da reprodução   Epigênese genética

Resumo

As biotecnologias aplicadas à reprodução animal vêm causando grandes impactos, principalmente nas últimas décadas. No entanto, até mesmo as biotécnicas mais complexas como a transferência nuclear e a transgenia, por exemplo, são dependentes da técnica de produção in vitro de embriões (PIVE). A maturação de oócitos é um procedimento chave na PIVE, porém, a eficiência da maturação in vitro (MIV) é fundamentalmente limitada pela qualidade do oócito, ou seja, pela competência de desenvolvimento intrínseca dessa estrutura. O isolamento de oócitos imaturos a partir do ambiente folicular pode interromper a transferência de nutrientes e suporte metabólico fornecidos pelas células do cumulus, resultando na ativação prematura da maturação nuclear, sem que o oócito tenha sofrido as referidas modificações, e comprometendo a competência oocitária e subsequente desenvolvimento. Por essa razão, a manutenção da integridade das junções comunicantes tipo gap (JCG) durante o processo de MIV é essencial para a aquisição de maturação citoplasmática adequada. Uma abordagem recente e promissora é a utilização de ativadores da enzima adenilato ciclase (AC) e de inibidores de fosfodiesterases (PDEs), com o objetivo de manutenção de altos níveis de AMPc durante a chamada pré-maturação. Ainda, dentre os eventos que devem ocorrer no núcleo e no citoplasma para que haja no oócito completa competência meiótica, a acetilação de histonas é um dos mais importantes. Considerando ainda relatos de que a tricostatina, um inibidor de histonas desacetilases (HDACs) que causa hiperacetilação global das histonas, provoca atraso na progressão meiótica e incrementa os níveis de competência oocitária, este estudo pretende investigar e otimizar eventos envolvidos na aquisição de competência oocitária e refletidos no desenvolvimento embrionário subseqüente, após indução da pré-maturação com agentes moduladores de AMPc e de alterações epigenéticas por meio do uso de agentes inibidores de HDACs. Para tanto, foram delineados cinco experimentos, onde serão avaliados a progressão meiótica e redistribuição das organelas celulares (Exp. I), o "status" de comunicação entre os oócitos e as células do cumulus (Exp. II), e a expressão relativa de genes ligados à competência (Exp. IV), em oócitos obtidos in vivo e a partir de ovários de abatedouro, imediatamente após a punção folicular (imaturos) e após a pré-maturação e/ou MIV em meio contendo moduladores de AMPc, TSA ou combinação de ambos. Também serão estudados os níveis de acetilação da histona H3 (K9) em oócitos tratados e em embriões gerados pelos diferentes tratamentos (Exp. III), e no último experimento (Exp. V), serão avaliados o desenvolvimento e a qualidade desses embriões, verificando-se inclusive a capacidade de estabelecimento de gestação e produção de animais a termo.