Busca avançada
Ano de início
Entree

Nano encapsulamento da porfirina metilfeoforbídeo a e seu uso na inibição da reação de fotossíntese

Processo: 11/01334-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Moacir Rossi Forim
Beneficiário:Luís Felipe Safady
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/57859-5 - Controle biorracional de insetos pragas, AP.TEM
Assunto(s):Fluorescência   Química de produtos naturais   Nanotecnologia   Polímeros biodegradáveis   Fotossíntese   Porfirinas   Herbicidas

Resumo

Décadas atrás, produtos agroquímicos foram introduzidos com o objetivo de aumentar os rendimentos agrícolas e o controle de insetos e plantas daninhas. Devido à adaptação e resistência desenvolvidas por estas pragas, a cada ano, maiores são as quantidades de pesticidas consumidos e maiores o número de novos compostos no mercado destinados a proteção. Todavia, estas práticas vêm causando efeitos indesejáveis de contaminação ambiental, acompanhado do aumento no custo para produção de alimentos. Como resultado, várias agências governamentais estão proibindo o uso de diversos agroquímicos e impondo barreiras de produção. Através de ações coordenadas, é necessário substituir produtos ambientalmente prejudiciais, porém mantendo a quantidade e qualidade na produção de alimentos. Assim sendo, o tema central deste projeto é a obtenção de um herbicida nanoencapsulado inibidor da reação da fotossíntese, formulado com metilfeoforbídeo a e polímeros biodegradáveis, práticas comuns a química de produtos naturais. O metilfeoforbídeo a, uma porfirina, foi escolhido por ser um composto de baixa toxicidade, qual apresenta uma estrutura similar as clorofilas, com possibilidades de interação com o sistema fotossintético de plantas daninhas. Podendo apresentar diversas funções biológicas e substituir o pigmento natural, esta porfirina pode bloquear o fluxo de elétrons levando a planta à morte. Neste projeto serão preparadas nanocápsulas e nanoesféras para o metilfeoforbídeo a, sendo estabelecidas suas propriedades físico-químicas, quantitativas, estabilidade UV e térmica e cinética de liberação. As formulações serão avaliadas no controle de Amaranthus deflexus por análises da curva de indução da fluorescência da clorofila. Entre as vantagens podem ser citados, o uso de um herbicida ecologicamente correto, ação prolongada do produto, melhoria nas propriedades físicas e químicas (solubilidade, fixação, proteção frente a oxidações, etc), desenvolvimento de tecnologias nacionais, auto-sustentabilidade, entre outros.