Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação morfogênica do estresse oxidativo na micropropagação de pinhão manso.

Processo: 11/01181-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2011
Vigência (Término): 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fisiologia Vegetal
Pesquisador responsável:Marcilio de Almeida
Beneficiário:Fabiane Aparecida Artioli Coelho
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Morfogênese   Micropropagação vegetal   Enzimas antioxidantes   Estresse oxidativo   Biocombustíveis   Jatropha curcas

Resumo

O pinhão manso (Jatropha curcas), planta oleaginosa, destaca-se entre as demais culturas pela capacidade de desenvolvimento em solos pouco férteis e de clima desfavorável. A espécie apresenta-se com um elevado potencial para a produção de biodiesel, uma vez que suas sementes produzem um óleo de excelência, com qualidade superior ao da mamona, que se aproxima ao diesel extraído do petróleo. Apresenta produtividade elevada, atingindo a idade produtiva aos três a quatro anos, estendendo-se por até 40 anos, contrapondo-se dessa forma ao plantio de dois anos da mamona. Diante disso, a cultura de tecidos, mostra-se como uma importante ferramenta biotecnológica, que pode além de contribuir com a produção em larga escala desta cultura, também com a propagação clonal de matrizes com qualidade genética superior e fitossanitária, em um curto período de tempo e em um espaço físico reduzido. As condições ambientais e culturais não comuns do meio in vitro, exemplificados pelo suplemento substancial de reguladores de crescimento (elevado nível de auxinas e/ou citocininas) e acúmulo de substâncias tóxicas, representam um dos fatores que interfere no desenvolvimento morfogenético e que determinam um estado de estresse in vitro, denominado de oxidativo. Este é marcado por um aumento nos níveis de espécies reativas de oxigênio (ROS), as quais podem ser controladas por enzimas antioxidativas extremamente sensíveis às condições de estresse abiótico, funcionando como sinalizadores do estresse. Desta forma, o projeto apresenta-se com o objetivo de investigar a combinação de auxinas e citocininas com o estresse oxidativo no decorrer do desenvolvimento morfogenético in vitro de dois genótipos de pinhão manso, através de análises de respostas morfofisiológicas, histoquímicas e bioquímicas dos tecidos, considerando para isto, a relação existente entre o estresse oxidativo e a morfogênese vegetal, bem como as alterações nas atividades das enzimas antioxidativas interferindo no desenvolvimento morfogenético.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
COELHO, Fabiane Aparecida Artioli. Avaliação morfogênica da micropropagação de pinhão manso (Jatropha curcas L.) sob indução de estresse oxidativo. 2013. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.