Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistemática, paleoecologia e bioestratigrafia dos bivalves permianos das formações rio do Rasto (Bacia do Paraná, Brasil) e Waterford (Bacia do Karoo, África do Sul)

Processo: 11/01975-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Marcello Guimarães Simões
Beneficiário:Juliana Machado David
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Bivalvia   Estratigrafia   Bioestratigrafia   Permiano   Bacia do Paraná

Resumo

O presente projeto de pesquisa está fundamentado na hipótese de o progressivo processo de continentalização da Bacia do Paraná, no Permo-Triássico, conduziu ao aparecimento de distintas faunas de bivalves, cujo caráter paleoautoecológico e paleobiogeográfico foi, em grande parte, influenciado pelas alterações paleoambientais ocorridas na bacia (vide Rohn,1994 e Simões et al., 1998). O entendimento, entretanto, da evolução in situ das malacofaunas é enormemente prejudicado pelo conhecimento ainda incipiente da taxonomia e afinidades dessas, em especial da Formação Rio do Rasto. Paralelamente, postula-se nesse projeto que, assim como ocorre no intervalo equivalente ao Membro Serrinha, Formação Rio do Rasto e Formação Gai-As, Huab, Namíbia, deve ter existo conexão aquática entre a Bacia do Paraná e do Karoo, África do Sul (Formação Waterford, Cooper & Kensley, 1984), no intervalo correspondente às biozonas de Pinzonella illusa e Pinzonella neotropica. Assim, esse projeto tem como objetivo principal o estudo de assembleias de bivalves da Formação Rio do Rasto e Formação Waterford (Wordiano). Esse estudo constituirá a base para o refinamento do esquema bioestratigráfico proposto por Rohn (1994) e do modelo evolutivo das malacofaunas permianas, da Bacia do Paraná, de Simões et al. (1998). Serão revisadas e descritas as malacofaunas da base do Membro Serrinha, cujos melhores registros ocorrem em cortes da PR-239, sentido Cândido de Abreu-Reserva. Uma inspeção dessa malacofauna indicou a ausência de Leinzia similis e Terraia altissima, tratando-se de uma nova assembléia, aparentemente dominada por Terraia curvata. A assembléia parece ser um pouco mais antiga que a de Leinzia similis-Terraia altissima, possivelmente constituindo o registro estratigráfico de uma biozona ainda não descrita entre a biozona de Pinzonella neotropica (no topo da Formação Teresina) e a de Leinzia similis-Terraia altissima (sensu Rohn, 1994), na Formação Rio do Rasto. Será descrita também a malacoufauna do Membro Morro Pelado, ainda inédita, desde as descobertas de Rohn (1988). Finalmente, é proposta também a revisão da malacofauna permiana da Formação Waterford, que pode conter formas afins a dos bivalves das biozonas de Pinzonella illusa e Pinzonella neotropica das formações Teresina e Corumbataí da Bacia do Paraná, Brasil. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARCELLO GUIMARÃES SIMÕES; JULIANA MACHADO DAVID; LUIZ EDUARDO ANELLI; CARLA KLEIN; SUZANA APARECIDA MATOS; VITOR BONATTO GUERRINI; LUCAS VERÍSSIMO WARREN. The Permian Tiaraju bivalve assemblage, Passa Dois Group, southern Brazil: biostratigraphic and paleobiogeographic significance. BRAZILIAN JOURNAL OF GEOLOGY, v. 47, n. 2, p. 209-224, Abr. 2017. Citações Web of Science: 1.
SIMOES, MARCELLO GUIMARAES; MATOS, SUZANA APARECIDA; ANELLI, LUIZ EDUARDO; ROHN, ROSEMARIE; WARREN, LUCAS VERISSIMO; DAVID, JULIANA MACHADO. A new Permian bivalve-dominated assemblage in the Rio do Rasto Formation, Parana Basin, Brazil: Faunal turnover driven by regional-scale environmental changes in a vast epeiric sea. Journal of South American Earth Sciences, v. 64, p. 14-26, DEC 2015. Citações Web of Science: 10.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.