Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da obesidade, de infecção por nematóide e do exercício físico na microbiota intestinal de camundongos: análises, por metagenômica

Processo: 10/52612-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2011
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Mario Jose Abdalla Saad
Beneficiário:Fernanda de Pace
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Microbiota   Exercício físico   Obesidade

Resumo

Há três décadas a obesidade é crescente entre os seres humanos, tendo se tornado uma pandemia. Sabe-se que as bactérias que residem no trato intestinal do hospedeiro afetam a aquisição de nutrientes, proteção contra patógenos e promoção da maturação do sistema imune intestinal. Estes microrganismos, que possuem uma estreita relação com seu hospedeiro, constituem a microbiota. Trabalhos recentes demonstraram que a microbiota intestinal influencia no estoque de gordura e na utilização de energia, sugerindo que estes microorganismos provavelmente desempenham um importante papel na obesidade. O trato intestinal, além de abrigar uma rica microbiota, é um órgão imunologicamente ativo. Em um estado normal, receptores que fazem parte do sistema imune não respondem à microbiota comensal do intestino, mas em caso de infecção, inicia-se uma cascata de eventos que contribuem para a indução de uma resposta inflamatória do hospedeiro e uma possível modificação na constituição da microbiota normal. Um exemplo de infecção entérica muito comum é a causada pelo parasita nematóide Trichiurus trichiura, capaz de causar uma doença conhecida como Tricuríase. Acredita-se que todos os membros da microbiota, incluindo os parasitas maiores, como protozoários e vermes, interagem uns com os outros. Além das modificações da microbiota que são geradas por infecções entéricas e pela obesidade, há ainda outros fatores que podem influenciar na sua composição. Trabalhos recentes indicam uma relação inversa entre atividade física e riscos de doenças gastrointestinais e apesar de já existirem alguns estudos, esta relação ainda não está elucidada. Neste projeto, estudaremos as possíveis modificações ocasionadas na microbiota intestinal de camundongos, decorrentes de infecção parasitária pelo nematóide Trichurius trichuri, assim como compararemos uma possível diferença entre a microbiota de obesos sedentários e ativos e magros sedentários e ativos, que praticam exercícios físicos moderados regularmente. (AU)