Busca avançada
Ano de início
Entree

1) Ajustes homeostáticos em situações de estresse e/ou alteração de volemia e de osmolalidade: ação do núcleo pré-óptico mediano e de neurônios parvocelulares do núcleo paraventricular. 2) Sistema reprodutor feminino: controle neuroenócrino e efeitos do estresse

Processo: 01/06273-1
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2001
Vigência (Término): 31 de maio de 2002
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Celso Rodrigues Franci
Beneficiário:Andreia Massaro de Lucena
Instituição Sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:98/12695-1 - Ajustes homeostaticos em situacoes de estresse e/ou alteracao de volumia e de osmoralidade: acao do pre-optico mediano e de neuronios parvocelulares do nucleo paraventricular., AP.R
Assunto(s):Osmose   Homeostase   Núcleo hipotalâmico paraventricular

Resumo

O núcleo paraventricular (PVN) recebe entre outras, aferências caudais originárias do locus coeruleus, do núcleo trato solitário, área parabraquial e, aferências rostrais vindas do órgão subfornicial (SFO), órgão vasculoso da lâmina terminal (OVLT) e núcleo pré-óptico mediano (MnPO). Através dessas aferências, o PVN recebe informações sobre variações de volume e osmolaridade, detectadas por receptores no cérebro, como os do SFO, OVLT e em órgãos periféricos, como os do coração, rim. O PVN com sua organização cito-arquitetônica complexa, sua diversidade de neuro-hormônios e neuromediadores, suas aferências e receptores centrais e periféricos relacionados a elas e suas eferências para outras estruturas cerebrais e órgãos periféricos é considerado o maior centro de integração de funções vegetativas e neuroendócrinas. Este sistema complexo engloba os mecanismos de controle de ingestão e excreção de água e sódio. A microinjeção de ácido ibotênico no PVN, dependendo da dose utilizada, causa lesão de corpos celulares de neurônios parvocelulares mas não de magnocelulares. Este modelo permite investigar possíveis funções dos neurônios parvocelulares independente dos neurônios magnocelulares, interações entre esses dois tipos de populações neuronais e o controle de funções vegetativas e de secreções hormonais, sem os efeitos de um quadro de diabete insípido, decorrente da lesão de neurônios magnocelulares. A questão central do projeto é: qual seria a função desses neurônios em situações que são exigidos ajustes neurovegetativos, manifestação de comportamentos e secreções endócrinas para preparar ou defender o organismo frente a determinados desafios e manter a condição de homeostase? Qual e como é a participação das aferências de estruturas cerebrais e de órgãos periféricos para esses neurônios? Que mecanismos efetores e como estariam sendo controlados com a participação desses neurônios? O objetivo geral é estudar a participação diferenciada de neurônios parvocelulares do PVN, a influência de aferências rostrais vindas através do MnPO e ação efetora do PVN para neuro-hipófise e eminência mediana/adeno-hipófise nos ajustes homeostáticos em situações de estresse e/ou alterações de volume e osmolaridade. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)