Busca avançada
Ano de início
Entree

Biodiversidade vegetal e de organismos edáficos em ecossistemas de Araucaria angustifolia naturais e impactados no Estado de São Paulo

Processo: 05/03686-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2005
Vigência (Término): 30 de novembro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Elke Jurandy Bran Nogueira Cardoso
Beneficiário:Leandro Henrique Guglielmin Tizato
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:01/05146-6 - Biodiversidade vegetal e de organismos edáficos em ecossistemas de Araucaria angustifolia naturais e impactados no estado de São Paulo, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Microbiologia do solo   Micorriza   Genomas   Bactérias   Flora

Resumo

A Araucaria angustifolia é uma espécie vegetal de elevado valor sócio-econômico e ambiental, característica da floresta subtropical brasileira. Devido à exploração predatória a que foi submetida, é atualmente considerada uma espécie em extinção, exigindo emprego de tecnologias imediatas visando a sua recuperação. Apesar de ocupar restrita área no Estado de São Paulo, as florestas de araucária fazem parte de um ecossistema rico em diversidade vegetal e animal, os quais apresentam uma interação muito forte. A perda desta espécie traria consequências negativas a todo o ecossistema, as quais poderiam envolver a perda da diversidade de microrganismos abaixo da superfície e comprometimento de funções e sustentabilidade do mesmo. Os objetivos deste projeto são estudar a diversidade florística de diferentes ecossistemas com araucária no Estado de São Paulo, bem como a diversidade e atividade microbianas dos solos desses ecossistemas, com especial enfoque à comunidade de bactérias promotoras de crescimento vegetal, fungos micorrízicos arbusculares e bactérias diazotróficas simbióticas com leguminosas do sub-bosque de aruacária, que deverá também ser caracterizada quanto à sua diversidade genética. A caracterização bioquímica e microbiológica dos solos sob araucária poderá fornecer subsídios para a indicação de metodologias futuras visando manutenção ou recuperação destes ecossistemas no Estado de São Paulo.