Busca avançada
Ano de início
Entree

Padronização de métodos cromatográficos para a extração de microcistinas de florações algais e culturas de cianobactérias

Processo: 05/04973-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2006
Vigência (Término): 04 de julho de 2006
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Ernani Pinto Junior
Beneficiário:Flávio de Campos Chaves Filho
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/06443-0 - Algas presentes em florações: isolamento e padronização de métodos analíticos para a quantificação das toxinas, AP.PP
Assunto(s):Espectrometria de massas   Cromatografia líquida de alta pressão   Toxicologia ambiental   Peptídeos   Microcistinas   Cianobactérias

Resumo

Além de São Paulo, outras cidades de grande e médio porte do interior e litoral do Estado, em razão da relativa fragilidade gerada pelo impacto da intensa dinâmica de ocupação, possuem suas fontes de água para abastecimento e recreação da população ameaçadas pela poluição e pelo aparecimento de florações de algas tóxicas. Recentemente, por meio da portaria nº 518, o Ministério da Saúde passou a exigir dos órgãos competentes e responsáveis pelo tratamento e fornecimento de água, o controle de toxinas de algas (microcistinas e, como recomendação, cilindrospermopsina e saxitoxinas). Esses órgãos já estão se adequando a essa portaria.Poucas são as pesquisas voltadas para o estudo de tais toxinas no Brasil. Este projeto tem como objetivo padronizar a extração de microcistinas presentes em algas envolvidas nos fenômenos de floração em água doce e também de culturas de cianobactérias previamente cultivadas em laboratório. Para isso, coletaremos as algas durante os processos de floração e/ou cultivaremos espécies já isoladas em laboratório. As toxinas serão isoladas de florações de cianobactéria da represa Billings e/ou de culturas axênicas mantidas em laboratório. As microcistinas obtidas serão utilizadas para a validação de métodos analíticos para a quantificação de toxinas e também em ensaios toxicológicos do projeto 04/14264-0. Cabe ressaltar que os planos gerais do projeto estão contidos nos objetivos do programa de Políticas Públicas - Fapesp 03/06443-0. Além de artigos científicos e relatórios, pretendemos capacitar pessoal especializado nas diferentes áreas do conhecimento incorporadas ao projeto.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.