Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de variáveis eletromiográficas, dinamométricas e cinemáticas em protocolo incremental de corrida na esteira

Processo: 08/01546-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 31 de agosto de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Mauro Gonçalves
Beneficiário:Veruska Artiaga Carrijo Gonçalves
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:05/02535-2 - Análise de variáveis eletromiográficas, dinamométricas e cinemáticas em protocolo incremental de corrida na esteira, AP.R
Assunto(s):Fadiga   Corridas   Eletromiografia   Biomecânica   Joelho

Resumo

O objetivo do presente estudo é analisar variáveis cinemáticas, eletromiográficas e metabólicas, e correlacioná-las entre si para identificação da fadiga muscular durante teste incremental de corrida em esteira. Participarão desse estudo 10 atletas corredores do sexo masculino, com idade entre 18 e 30 anos, sem antecedentes de lesão nos membros inferiores e de antropometria semelhante. O protocolo de corrida será composto de um aquecimento de cinco minutos e, após, será realizado o teste até a exaustão, com velocidade inicial de 12 km.h-1 com incrementos de 1 km.h-1 a cada 3 minutos. Serão coletados dados cinemáticos e sinais eletromiográficos durante todo o teste, e após o término de cada estágio de 3 minutos haverá uma pausa de 30 segundos para coleta de sangue (25ml) do lóbulo da orelha. Os dados cinemáticos analisados serão: freqüência de passada, amplitude de passada, ângulos articulares das articulações do quadril, joelho e tornozelo, velocidade angular, aceleração angular e tempo de contato. Para aquisição e análise dos dados cinemáticos será utilizado o sistema de cinemetria ViconPeak. O sinal eletromiográfico será captado bilateralmente dos músculos ileocostal lombar (ILC) no nível vertebral L2-L3, reto abdominal (RA), reto femoral (RF), vasto medial (VM), vasto lateral (VL), tibial anterior (TA), bíceps femoral (cabeça longa) (BFCL) e gastrocnêmio (porção lateral) (GNL), por meio do sistema Telemyo 900 (Noraxon) e software Myoresearch (Noraxon) e, posteriormente, será analisado utilizando-se o software MatLab. A determinação do limiar de fadiga eletromiográfico (EMGLF) ocorrerá segundo DeVries et al. (1982) e Matsumoto et al. (1991). A realização desse protocolo faz-se de fundamental importância para validação de uma metodologia biomecânica que possibilite a avaliação da fadiga e sua influência em parâmetros cinemáticos durante a corrida.