Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise espacial da transmissão da dengue e caracterização molecular dos vírus no município de São José do Rio Preto, SP

Processo: 08/02483-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 31 de agosto de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Pesquisador responsável:Francisco Chiaravalloti Neto
Beneficiário:Vinícius dos Santos Santana
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/01070-9 - Análise espacial da transmissão da dengue e caracterização molecular dos vírus no município de São José do Rio Preto, SP, AP.R
Assunto(s):Dengue   Epidemiologia molecular   Aedes aegypti   Análise espacial

Resumo

Flavivirus são responsáveis por um grande número de doenças virais graves que são um problema de saúde pública. Dengue e febre amarela são doenças com impactos econômicos e sociais causados por este gênero. O monitoramento da circulação viral é importante na determinação da magnitude e severidade de uma epidemia e, associado às ferramentas de análise espacial, configura-se como um importante instrumento de vigilância e controle. O objetivo do trabalho é analisar espacialmente a transmissão de dengue e realizar a caracterização molecular dos vírus circulantes através de amostras positivas de sangue para dengue, mosquitos infectados capturados em residências e ovos provenientes de armadilhas de oviposição durante um período de dois anos. O estudo será realizado em São José do Rio Preto, região noroeste do estado de São Paulo, que possui comportamento endêmico para a doença. O município será dividido em três agrupamentos de setores censitários divididos segundo nível socioeconômico. Pacientes que apresentarem febre alta, artralgia, cefaléia e mialgia por mais de quatro dias terão o sangue coletado e terão o RNA viral extraído e, posteriormente, será feito o RT-PCR para Dengue (1 a 4) e Febre Amarela. As amostras positivas serão seqüenciadas na sua região NS5. Mosquitos adultos serão capturados com aspiradores manuais, acondicionados e levados ao laboratório para identificação e extração de RNA viral. Armadilhas de oviposição serão colocadas no peridomicílio das residências sorteadas e os ovos serão levados para laboratório onde serão colocados para eclosão. As larvas serão analisadas para a presença de transmissão transovariana do vírus. Os endereços dos casos humanos, dos mosquitos e ovos positivos serão colocados em um banco de dados e a análise espacial será feita pela estimação da intensidade, que analisa o comportamento dos padrões de ponto e estima a intensidade pontual do processo em toda região de estudo. As seqüências de NS5 serão comparadas à base de dados GenBank e será feito o alinhamento das seqüência de nucleotídeos, análise filogenética e a comparação entre os períodos do estudo.