Busca avançada
Ano de início
Entree

Polimerização via RAFT em solução e miniemulsão

Processo: 08/03114-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2008
Vigência (Término): 30 de junho de 2008
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Tecnologia Química
Pesquisador responsável:Amilton Martins dos Santos
Beneficiário:André Luiz Peres dos Santos
Instituição-sede: Escola de Engenharia de Lorena (EEL). Universidade de São Paulo (USP). Lorena , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/05739-0 - Polimerização via RAFT em solução em miniemulsão, AP.R
Assunto(s):Polímeros (materiais)   Blendas   Polimerização   Copolímeros

Resumo

Os recentes mecanismos de polimerização via radical livre controlada, têm permitido aos pesquisadores, a síntese de copolímeros em bloco em condições menos rígidas que as das iônicas vivas. Essas novas técnicas de polimerização, entre as quais destacam-se as mediadas por agentes de transferência de cadeia reversível, via mecanismo de adição-fragmentação reversíveis (RAFT - Reversible Addition-Fragmentation Chain Transfer), permitem que reações sejam conduzidas, praticamente, sob as mesmas condições das polimerizações radicalares vivas convencionais, obtendo, todavia, polímeros com arquiteturas previamente definidas, além de controle da massa molar e baixa polidispersidade. Apesar das vantagens que são esperadas para sistemas RAFT em meio disperso, a polimerização via RAFT em emulsão e miniemulsão ainda não conhece o mesmo sucesso que tem sido obtido em polimerizações em solução e massa. Problemas como a perda do controle da massa molar e da polidispersidade, formação de coágulos e separação de fase têm sido relatados, o que torna um desafio, a utilização da técnica de polimerização mediada por agentes RAFT em meios heterogêneos tais como a emulsão e a miniemulsão. Esse trabalho de pesquisa propõe a síntese de diferentes agentes RAFT, para posterior utilização em sínteses de copolímeros de bloco via polimerização em solução e via um novo processo de polimerização, ou seja, a miniemulsão. Esses copolímeros de bloco serão empregados como agentes de compatibilização na formulação de blendas poliméricas e os respectivos desempenhos serão avaliados pela análise dinâmico-mecânica. (AU)