Busca avançada
Ano de início
Entree

Pasteuria penetrans para o controle biológico de Meloidogyne spp. em quiabeiro (Abelmoschus esculentus l.)

Processo: 08/02829-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2008
Vigência (Término): 31 de agosto de 2008
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Valmir Luiz de Souza
Beneficiário:Gustavo Tadeu Alvarenga Marques de Souza
Instituição-sede: Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/53913-0 - Pasteuria penetrans para o controle biológico de Meloidogyne spp. em quiabeiro (Abelmoschus esculentus l.), AP.R
Assunto(s):Controle biológico   Nematologia

Resumo

Os nematóides formadores de galhas Meloidogyne spp. tem reduzido drasticamente o período de colheita do quiabeiro no oeste do estado de São Paulo. O presente trabalho propõe o desenvolvimento de solo supressivo pela aplicação de Pasteuria penetrans para o controle de Meloidogyne spp. na cultura do quiabeiro, como alternativa ao uso de nematicidas químicos. Oportunamente, identificação das espécies do gênero Meloidogyne presentes na região. Em dois anos consecutivos serão conduzidos ensaios nos municípios de Piacatu, Gabriel Monteiro, Bilac e Araçatuba, localizados na região do extremo oeste do estado de São Paulo. Serão utilizadas áreas de aproximadamente 800 m2 infestadas por Meloidogyne spp. e cultivados com a cultura do quiabeiro. Cada área será dividida em oito parcelas experimentais. Inicialmente foi determinado o nível populacional de Meloidogyne spp. e as espécies presentes nas áreas experimentais pela técnica de eletroforese de isoenzimas, em seguida, foi avaliada a especificidade de uma mistura de isolados de P. penetrans aos nematóides problema. O inóculo da bactéria será aplicado direto no sulco de semeadura. Em estudo preliminar, constatou-se por análise de eletroforese, populações puras de Meloidogyne incognita em área experimental no município de Gabriel Monteiro. Cerca de 70% dos juvenis de segundo estádio (J2) sofreram adesão bacteriana. A alta especificidade de P. penetrans observada neste estudo, indica que resultados promissores podem ser alcançados na área experimental no município de Gabriel Monteiro, onde o ensaio encontra-se em andamento. Espera-se observar o desenvolvimento de supressividade de solo ao nematóide das galhas em áreas inoculadas com P. penetrans em cerca de 2 a 3 anos.