Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de atividade antitumoral de estirilpironas, isolada de Cryptocaryia mandiocanna, em tumores de carcinoma cervical infectados por papilomavírus humano (HPV) e não infectados, implantados em camundongos nude Balb-c

Processo: 08/04181-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Pesquisador responsável:Dulce Helena Siqueira Silva
Beneficiário:Mauro César Cafundó de Morais
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/07932-7 - Busca de compostos naturais antitumorais, antioxidantes, antiinflamatórios, antidiabéticos, inibidores de acetilcolinesterase e mieloperoxidase no Cerrado e na Mata Atlântica, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Antineoplásicos

Resumo

Avaliação de atividade antitumoral de Estirilpironas, isolada de Cryptocaryia mandiocanna, em tumores de carcinoma cervical infectados por Papilomavírus Humano (HPV) e não infectados, implantados em camundongos nude Balb-c.O câncer de colo do útero é a segunda causa de mortalidade por câncer em mulheres no mundo. Estudos indicam que a infecção pelo HPV, verificada pela presença do DNA viral, é uma causa necessária para o aparecimento do câncer de colo uterino, porém não é suficiente para a progressão da doença. As proteínas virais E6 e E7 apresentam função de estimular a transcrição de genes alvos associados à replicação do DNA, resultando na proliferação celular desordenada. Estudos prévios demonstram que a ação de produtos naturais em linhagens celulares infectadas por HPV (HeLa, SiHa e Caski) apresentaram redução nos níveis de RNAm de E6 e E7, inibindo a proliferação celular. O estudo de produtos naturais é de fundamental importância para o desenvolvimento de novas terapias contra o HPV. Estirilpironas isoladas de diferentes plantas, inclusive de Cryptocarya mandioccana, demonstram elevada atividade citotóxica e seu estudo é considerado o mais importante depois da avaliação fitoquímica e oncofarmacológica do taxol.objetivo:Determinar a citotoxicidade da etirilpirona criptomoscatona D2 e avaliar sua capacidade de inibir o crescimento tumoral, no modelo de xenoenxerto animal.Metodologia: Células transformadas pelo HPV (SiHa e HeLa) e não transformadas (C33-A) serão cultivadas em meio DMEM e utilizadas para ensaio de citotoxicidade por MTT. As linhagens C33-A e SiHa serão utilizadas para indução de tumor em camundongos nude Balb-c, que posteriormente serão tratados com Estirilpirona.As atividades abaixo relatadas serão desenvolvidas no Laboratório de Citologia e Biologia Celular - Departamento de Análises Clínicas - Faculdade de Ciências Farmacêuticas - UNESP, sob supervisão da Profa. Dr. Christiane Pienna Soares, colaboradora do presente projeto temático.Fase 1 - fevereiro, março e abril.*Padronização do método de citotoxicidade.*Cultivo das linhagens HeLa, SiHa e C33-A.Fase 2 - maio, junho e julho.*Cultivo das linhagens HeLa, SiHa e C33-A.*Avaliação de citotoxicidade (MTT) nas linhagens HeLa, SiHa e C33-A.*Determinação da Concentração Inibitória 50% (IC50) de Estirilpirona criptomoscatona D2.*Padronização do método de implantação de tumor.Fase 3 - agosto, setembro e outubro.*Implante dos tumores em camundongos nude Balb-C com linhagens SiHa e C33A.*Tratamento com estirilpironas nos camundongos com implante e controles por 15 dias.*Sacrifício, remoção dos tumores e medida do tamanho tumoral.*Inclusão dos tumores em parafina, cortes histológicos e Coloração pela Hematoxilina e Eosina.Fase 4 - novembro e dezembro.*Avaliação Histológica dos tumores dos grupos teste e controle.*Tabulação dos Dados e Análise Estatística dos resultados.*Relatório final.O projeto Biota/Bioprospecta-FAPESP possibilita o estudo da biodiversidade brasileira com o objetivo de encontrar princípios ativos naturais que possam servir como modelo na síntese de novos fármacos, além do estudo das atividades biológicas dos compostos isolados.O treinamento técnico a ser realizado possibilita uma melhor compreensão da atividade biológica da etirilpirona criptomoscatona D2 e auxilia nos objetivos de encontrar novos princípios ativos que possam apresentar melhor efeito terapêutico e menor toxicidade, bem como padronizar novas metodologias de pesquisa.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.