Busca avançada
Ano de início
Entree

Processamento e sistema de garantia de qualidade da cadeia de produção da polpa de juçara (Euterpe edulis)

Processo: 08/07950-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de setembro de 2008
Vigência (Término): 31 de agosto de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais
Pesquisador responsável:Marta Helena Fillet Spoto
Beneficiário:Mayra Fernanda Silveira
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/50435-5 - Processamento e sistema de garantia de qualidade da cadeia de produção da polpa de juçara (Euterpe edulis), AP.R
Assunto(s):Euterpe edulis   Exploração sustentável

Resumo

A palmeira Euterpe edulis é uma planta nativa do Domínio da Floresta Tropical Atlântica do Brasil. O palmito proveniente desta espécie é um dos mais importantes produtos não madeiráveis aproveitados na Floresta Atlântica e vem sendo extraído intensivamente e em larga escala, a ponto de eliminar a espécie em vastas áreas da Mata Atlântica. Além do palmito, o Euterpe edulis produz também frutos de interesse econômico. Nesse contexto, nos últimos anos também tem sido implementado o uso da juçara para produção de frutos e extração de polpa, mas não há um controle na qualidade deste, nem tão pouco uma padronização do produto. Este trabalho visa a caracterização e padronização do produto, desenvolvendo de um Plano de Análise de Perigos dos Pontos Críticos de Controle, para que este atenda as exigências e necessidades de mercado, disponibilizando para as populações tradicionais e pequenos produtores que vivem dentro do Parque Estadual da Serra do Mar e em seu entorno, o processamento de um produto de qualidade. Outro objetivo é de disponibilizar uma alternativa ao corte do palmito, alem de despertar a atenção para a necessidade de sua proteção, pois a permanência do espécime garante a produção dos frutos, e ainda, o processo gera, como produto secundário, uma grande quantidade de sementes, possibilitando e incentivando um repovoamento da espécie com retorno ao seu local de produção.