Busca avançada
Ano de início
Entree

Extração dè óleos essenciais e análise da composição química pôr cromatografia a gás (CG/FID) e cromatografia a gás acoplada à espectrometria de massas (CG/EM)

Processo: 08/09071-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de setembro de 2008
Vigência (Término): 31 de agosto de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Pesquisador responsável:Paulo Roberto Hrihorowitsch Moreno
Beneficiário:Anderson Luis Do Nascimento
Instituição-sede: Instituto de Botânica. Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:02/12215-7 - Flora aromática da Mata Atlântica no Estado de São Paulo: composição química dos óleos voláteis e análise da atividade biológica, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Anti-infecciosos   Produtos naturais   Composição química   Óleos essenciais

Resumo

1. ResumoO programa de atividades descrito abaixo compreende atividades rotineiras que exigem trabalho cuidadoso por técnicos de nível superior. As atividades visam subsidiar as duas metas principais do projeto "FLORA AROMÁTICA DA MATA ATLÂNTICA NO ESTADO DE SÃO PAULO: COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS ÓLEOS VOLÁTEIS E ANÁLISE DA ATIVIDADE BIOLÓGICA", financiado pelo FAPESP e em andamento nos laboratórios de Produtos Naturais do Instituo de Química da USP/ São Paulo e da Seção de Fisiologia e Bioquímica de Planta do Instituto de botânica/ SMA-SP: (1) Análise da constituição química dos óleos voláteis presentes em espécies nativas da Mata Atlântica bem como verificar as possíveis atividades farmacológicas desses óleos (antibacteriana, antifúngica, antiinflamatória e antineoplásica); (2) Cultivo in vitro e/ou micropropagação de espécies selecionadas, visando à preservação do germoplasma como fonte renovável.2. Descrição dos objetivosO objetivo desta proposta é documentar a composição química dos óleos essenciais obtidos de plantas com ocorrência em remanescentes de Mata Atlântica no Estado de São Paulo com enfoque nas famílias Asteraceae, Annonaceae, Lauraceae, Lamiaceae, Myrtaceae, Rutaceae e Verbenaceae.3. JustificativaComo meta adicional às propostas pelo presente projeto, pretende-se intensificar a formação de recursos humanos especializados no estudo multidisciplinar da biologia e conservação dos biomas tropicais brasileiros. As atividades rotineiras a serem desenvolvidas pelo bolsista exigem trabalho cuidadoso por um técnico de nível superior uma vez que, a qualidade dos resultados produzidos pela presente proposta está intimamente correlacionada com a confiabilidade dos dados gerados pelo trabalho deste técnico. O plano de atividades descrito envolve a participação deste técnico não apenas nos trabalhos para a triagem proposta como nos projetos de pós-graduandos inseridos dentro do temático, e propícia um importante treinamento na área de análise química dos óleos essenciais, normalmente não contemplado apenas pela graduação. 4. Plano de trabalhoOs resultados previstos seguirão o cronograma de atividades do temático e os trabalhos realizados cumprirão as seguintes etapas:4.1. ColetasParticipação em todas as coletas de material vegetal a serem realizadas em cada estação do ano em regiões de Mata Atlântica. As espécies serão coletadas de populações nativas do estado de São Paulo, baseando-se em dados quimio-taxonômicos sobre a ocorrência de óleos essenciais.4.2. Preparação de exsicatasPreparação das exsicatas de todos os exemplares coletados para identificação botânica das espécies e que serão depositados e identificados no Herbário do Instituto de Botânica (SP).4.3. SeparaçãoSeparação manual das diferentes partes das plantas (folhas, galhos, frutos, flores etc.). As partes separadas são armazenadas em sacos de papel e estocadas numa estufas de ar circulante, a 40 ºC para secagem.4.4. ExtraçãoO óleo volátil será obtido a partir do material vegetal, reduzido com o auxílio de triturador mecânico, submetido a hidrodestilação em processo contínuo com aparelho de Clevenger durante 4 horas.4.5. Análise químicaO material será quantificado por cromatografia gasosa com detector de ionização de chamas (CG/DIC) e identificado por cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas (CG/EM). A metodologia empregada para ambas às análises será a mesma que a descrita por Adams (1995).