Busca avançada
Ano de início
Entree

Melhoramento genético da seringueira (Hevea spp.) para o estado de São Paulo

Processo: 09/00656-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 30 de abril de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Paulo de Souza Gonçalves
Beneficiário:Fernando Henrique Albergante
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/50490-6 - Melhoramento genetico de seringueira (hevea spp.) para o estado de sao paulo., AP.R
Assunto(s):Herdabilidade   Variação genética   Germoplasma   Resistência à doença   Melhoramento genético vegetal   Seringueira   Hevea brasiliensis   Clonagem   Polinização

Resumo

O caráter mais importante no melhoramento genético da seringueira [Hevea brasiliensis (Willd. ex Adr. de Juss) Muell.-Arg.] é a produção do látex. Entretanto, a expressão desse potencial é geralmente influenciada por vários fatores genéticos inerentes à árvore, como vigor, espessura de casca, resistência ao vento, doenças, etc. e por fatores ambientais tais como: práticas de manejo, sistema de sangria, estimulação, densidade de plantio, nutrição, etc. O programa de Melhoramento Genético adotado pelo Instituto Agronômico, compreende três etapas de seleção. Inicialmente, procura-se obter progênies, por via de polinização controlada ou aberta, visando à formação de viveiros de progênies. Aos dois anos e meio com base em avaliações preliminares de produção através de testes precoces, vigor e tolerância a doenças, os ortetes são selecionados e clonados para serem testados em Experimentos de Avaliação de Clones em Pequena Escala (EAPEs). Nessa segunda etapa de seleção, após o primeiro ano de sangria, os clones promissores são multiplicados e passam a ser avaliados em Experimentos de Avaliação em Grande Escala (EAGEs). Com base no exposto o projeto tem como principal objetivo a obtenção de cultivares (clones) superiores de seringueira com alto potencial de produção e vigor, resistentes ao Microcyclus ulei (P. Henn.) v. Arx. para as diferentes regiões do Planalto e litoral do estado de São Paulo. O projeto compreende 20 experimentos contemplando três grupos distintos. O primeiro relacionado Estudo e Seleção de Progênies, o segundo a Avaliação de Clones em Pequena Escala (EAPEs) e um terceiro a Avaliação de Clones em Grande Escala (EAGEs), a maior parte em andamento no Instituto Agronômico (IAC). Todos envolvem desde a polinização controlada até a liberação final de clones ao nível de produtor. Na avaliação dos experimentos, dentre outros serão consideradas produção de borracha, vigor doenças de folha e painel de sangria, formato de copa com vistas a resistência a vento e qualidade da borracha produzida. (AU)