Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação e quantificação dos compostos majoritários encontrados nos extratos etanólicos de Aulonemia aristulata

Processo: 09/01093-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2009
Vigência (Término): 31 de julho de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Maria Tereza Grombone Guaratini
Beneficiário:Glauco Ryodi Fukuda
Instituição-sede: Instituto de Botânica. Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:05/51747-2 - Influência de Paradiolyra micrantha na regeneração de um fragmento urbano de Mata Atlântica, AP.R
Assunto(s):Restauração florestal   Mata Atlântica   Bambu   Alelopatia

Resumo

Em fragmentos florestais, a frequência de pertubações na estrutura do dossel tende a ser mais alta, devido ao efeito senergético da perda de habitat e a consequente criação de bordas. Fragmentos florestais também são mais suscetíveis a pertubações de origem antrópica, como fogo e extração ilegal de madeira. Em condições de intensa pertubação do dossel, bambus podem torna-se dominantes no sub-boste da floresta, impedindo ou retardando o estabelecimento de árvores. Embora a capacidade de crescimento agressivo possa explicar a exclusão de plântulas na floresta, estudos têm demonstrado que algumas espécies de bambus subtropicais exibem potencial alelopático. Aulonemmia aristulata (Doll) MacClure é um bambu perene nativo da Mata Atlântica com superabundância em áreas degradadas. Este fenômeno de dominância está ocorrendo em regiões de bosque e sub-bosque do Parque Estadual das Fontes o Ipiranga (PEFI) onde se observa o efeito negativo dessas espécies sobre o recrutamento, a sobrevivência e o crescimento de espécies arbóreas modificando a cobertura natural do parque. A hipótese iniciada em 2006 sobre o Efeito alelopático dos Extratos do Bambu Aulonemia aristulata sobre a germinação e crescimento de Lactuca sativa L. é que a esta espécie exerce efeito, via liberação de aleloquímicos, sobre a cobertura vegetal nativa do PEFI. Na primeira etapa do projeto a presença dos compostos quercitina, rutina e ácido ferúlico nos extratos e frações da planta é proposta como uma possível explicação para a dominância do bambu em áreas de Mata Atlântica. Entretanto o extrato da planta apresenta inúmeros compostos ainda não identificados que podem também atuar na atividade inibitória da germinação. Além disso estudos preliminares, realizados com plântulas de Aulonemmia aristulata mostram fortes indícios de que possam estar presentes novos ou quantidades maiores dos flavonóides com atividade alelopática.