Busca avançada
Ano de início
Entree

Mapa e atlas ambiental/socioeconômico da Baixada Santista

Processo: 09/02543-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:José Alberto Quintanilha
Beneficiário:Silvia Maria Sartor
Instituição-sede: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/51780-2 - Mapa, atlas ambiental e socioeconômico da Baixada Santista, SP, AP.PP
Assunto(s):Engenharia sanitária e ambiental   Geoprocessamento   Georreferenciamento   Análise socioeconômica   Baixada Santista (SP)

Resumo

Coordenação da Elaboração do banco de dados georreferenciado, considerando os Planos de informação relativos ao ambiente e à socioeconomia: 1) ecossistemas costeiros, insulares e marinhos (praias, costões rochosos, manguezais, restinga, mata, estuário, mar costeiro); 2) biota terrestre, litorânea, estuarina e marinha, considerando os vários grupos taxonômicos como répteis, aves, mamíferos; Plâncton (Fito e Zooplâncton), bentos (macro e megabentos), necton (peixes, quelônios, mamíferos e aves); 3) Geomorfologia; 4) Recursos Hídricos; 5) Hidrodinâmica Costeira (correntes, marés, modelagem); 6) Sensibilidade Ambiental, de acordo com os vários aspectos levantados (geomorfologia, biota, hidrodinâmica, etc); 7) Ocupação do solo e passivos ambientais na área portuária; 8) Geração de Resíduos Sólidos na Zona Portuária; 9) Áreas de Proteção Ambiental e de Reservas Legais; 10) Níveis de Poluentes na água, no sedimento e na cadeia trófica; 11) Histórico da balneabilidade nas várias praias e variáveis intervenientes; 12) Patrimônio Histórico e Turístico; 13) Recursos socioeconômicos (Áreas indígenas, turísticas, de esportes náuticos, etc). Além de gerenciar e orientar a equipe na aquisição e geração do banco de dados, haverá a necessidade de elaborar alguns dos planos de informação individualmente ou envolvendo orientação à alunos de graduação de áreas específicas (oceanografia, ciências sociais, biologia, engenharia ambiental). A atividade como bolsista em Treinamento Técnico implicará, também, na interlocução com parceiros institucionais já integrados ao Projeto e na prospecção, contato e promoção de novas parcerias potenciais (Editora Abril, Petrobras, Fosfértil e demais empresas da Baixada Santista, Prefeituras, ONGs, Empresas Públicas como SABESP e CETESB e de Consultoria Ambiental atuantes na área). (AU)