Busca avançada
Ano de início
Entree

Relacionando espécies à paisagem: distribuição de vertebrados em um agroecossistema

Processo: 09/08741-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2009
Vigência (Término): 31 de agosto de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Pesquisador responsável:Katia Maria Paschoaletto Micchi de Barros Ferraz
Beneficiário:Luciana Cristine de Azevedo Ribeiro
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/03500-6 - Relacionando espécies a paisagem: distribuição de vertebrados em um agroecossistema, AP.R
Assunto(s):Modelos ecológicos   Conservação da biodiversidade   Ecologia aplicada

Resumo

A fragmentação, um dos processos mais característicos de alteração da paisagem, pode influenciar direta ou indiretamente a distribuição e abundância de espécies. Uma das questões essenciais à conservação é entender como as alterações da paisagem afetam a diversidade biológica. Neste contexto, o presente estudo visa obter informações que permitam compreender os padrões de distribuição de três grandes grupos de vertebrados - aves, mamíferos e peixes - em relação à paisagem atual. Os objetivos gerais deste estudo são: 1) Realizar o inventário de aves, mamíferos de médio e grande porte e peixes de riacho na bacia do rio Corumbataí (já concluído); 2) Gerar modelos preditivos de distribuição potencial das espécies amostradas (em andamento); 3) Validar e comparar os modelos gerados quanto sua precisão e acurácia na predição da distribuição potencial das espécies (a ser realizado); 4) Gerar cenários de biodiversidade baseado na riqueza de espécies (a ser realizado); e 5) Avaliar possíveis efeitos de alterações da paisagem nos cenários de biodiversidade, através de simulações de alteração do uso do solo na bacia (a ser realizado). Foram selecionados para amostragem 97 sítios para aves e mamíferos e 75 sítios para peixes, os quais foram alocados em oito estratos de amostragem. A baixa similaridade entre as comunidades amostradas sugere possível influência das variáveis uso do solo e altitude, ressaltando a importância do método utilizado. A modelagem da distribuição potencial está sendo realizada para 21 espécies de aves, 13 de peixes e uma de mamífero. Ao término deste processo, os modelos serão validados no campo através de novas coletas de dados de presença das espécies nas classes de probabilidade indicadas pelos modelos visando reduzir suas taxas de erro. Os modelos serão analisados através da matriz de confusão, índices quantitativos e do teste de c2. Após a validação dos modelos serão gerados cenários de biodiversidade baseados na riqueza de espécies amostradas. Espera-se assim fornecer um diagnóstico e prognóstico da distribuição de espécies em relação à paisagem, visando contribuir para o manejo e conservação da biodiversidade no Estado de São Paulo. A metodologia desenvolvida e testada neste estudo poderá ser utilizada em outras regiões e bacias. Além disso, os modelos gerados poderão ser projetados e validados em outras paisagens.