Busca avançada
Ano de início
Entree

Reconhecimento social e autonomia intersubjetiva de idosos em município paulista de médio porte

Processo: 09/10284-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de agosto de 2009
Vigência (Término): 30 de abril de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Rodolfo Franco Puttini
Beneficiário:Érika Guimarães Leal de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/07546-8 - Reconhecimento social e autonomia intersubjetiva de idosos em município paulista de médio porte, AP.R
Assunto(s):Saúde do idoso   Ciências sociais   Vulnerabilidade social

Resumo

O objetivo deste projeto é estudar grau de autonomia social ou intersubjetiva do idoso e acrescentar elementos para construção de modelo compreensivo de vulnerabilidade da pessoa idosa, passível de contribuir para aperfeiçoamento das políticas públicas e da prática de saúde. Por autonomia intersubjetiva, entendemos, com Honneth (2003), o conjunto de relações sociais de reconhecimento (em que sujeitos sociais reconhecem e são reconhecidos, uns pelos outros) que conferem ao indivíduo identidade, garantindo-lhe simultaneamente autoconfiança, auto-respeito e auto-estima. Assim, a partir de banco de dados já existente, selecionaremos 24 idosos por sorteio e pelo critério de sexo, escolaridade e renda. Depois de seu consentimento livre e esclarecido, utilizaremos como técnica para coleta dos dados entrevistas individuais, semi diretivas com o propósito de identificar a experiência de autonomia intersubjetiva que os sujeitos acumularam no contexto das relações sociais de afeto, reconhecimento jurídico e estima que mantêm nos contextos familiar e social-comunitário. As gravações transcritas serão analisadas enquanto material qualitativo e destruídas após o uso previsto. A análise dos dados qualitativos das entrevistas, em relação às três dimensões da autonomia intersubjetiva, se apoiará nas categorias da pragmática formal de Jürgen Habermas e nas pretensões morais implícitas levantadas pelos idosos que buscam reconhecimento. Espera-se com o presente estudo qualitativo ampliar as informações sobre o perfil da população de sessenta anos e mais do município de Botucatu (SP) e desenvolver um modelo teórico representativo sobre a vulnerabilidade do idoso. Os resultados finais serão divulgados em revistas científicas, após aprovação do Comitê de Ética da Faculdade de Medicina de Botucatu.