Busca avançada
Ano de início
Entree

São Paulo: os estrangeiros e a construção da cidade

Processo: 09/10333-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de agosto de 2009
Vigência (Término): 31 de julho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Ana Lucia Duarte Lanna
Beneficiário:Ligia Maria Araki
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/51727-4 - São Paulo: os estrangeiros e a construção da cidade, AP.TEM
Assunto(s):Cidades   São Paulo   Imigração

Resumo

Esta pesquisa, em parceria a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - FAU/USP, a Escola de Engenharia de São Carlos - EESC/USP, o Departamento de Antropologia - FFLCH/USP e o Museu Paulista - MP/USP, vem integrar a ampla literatura disponível sobre São Paulo, mas o faz a partir de um recorte temático preciso. Trata-se de estudar a cidade transformada desde finais do século XIX, tendo como fio condutor as presenças estrangeiras, fundamentais nos processos de transformação física, demográfica, econômica, social e cultural da cidade. O objeto desta análise é, portanto, a cidade de São Paulo, incompreensível em suas dinâmicas sem estes personagens.O estrangeiro será considerado nesta pesquisa em relação ao universo do trabalho: o do trabalho livre, operário e fabril (para o qual a categoria do imigrante é praticamente superposta); também o do trabalho intelectual, das práticas artesanais, das profissões liberais, da instituição de campos de saberes e profissionais, e ainda da construção de instituições públicas ou privadas. O propósito deste projeto de pesquisa é relacionar processos espaciais e sociais em curso na cidade em diferentes momentos, examinando-os a partir da presença e atuação de estrangeiros que constituem, em suas práticas profissionais e redes de sociabilidade, a própria cidade. A pesquisa assume como proposta revelar uma cidade que se faz compreensível pela articulação de sua materialidade, de suas redes de sociabilidade e dos processos de construção de identidades e alteridades. Ao mesmo tempo, propõe compreender o estrangeiro num quadro de construção e de problematização da questão da nacionalidade como um "outro" relacionado aos diversos universos e qualificações do trabalho.