Busca avançada
Ano de início
Entree

Reflectância da orelha média e emissões otoacústicas em diferentes padrões timpanométricos

Processo: 09/18300-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2010
Vigência (Término): 31 de maio de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Renata Mota Mamede Carvallo
Beneficiário:Juliana Granja Urosas
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/06450-2 - Reflectância da orelha média e emissões otoacústicas em diferentes padrões timpanométricos, AP.R
Assunto(s):Audiologia   Testes auditivos   Audição

Resumo

Dentre os profissionais interessados na investigação da audição humana, o Fonoaudiólogo se destaca como especialmente habilitado para identificar as diferentes respostas auditivas apresentadas, sejam elas respostas obtidas por avaliação eletroacústica, eletrofisiológica ou, comportamental. Recentemente, as medidas de reflectância acústica passaram a ser um procedimento de escolha ao alcance dos fonoaudiólogos, visando avaliar com maior precisão o grau do comprometimento da orelha média. O enfoque do treinamento proposto por meio desta Bolsa é justamente a aplicação das medidas de reflectância acústica, juntamente com a bateria audiológica básica, e com emissões otoacústicas para conhecermos a influência de alteração de orelha média o comportamento das emissões otoacústicas - tanto por estímulo transiente como produto de distorção, em indivíduos com e sem queixa auditiva. Desta forma, com o objetivo de propor treinamento em procedimentos de avaliação audiológica, esta Bolsa vincula-se ao Projeto de Auxílio Pesquisa FAPESP ora solicitado : " Reflectância da orelha média e emissões otoacústicas em diferentes padrões timpanométricos". O Projeto acima tem como objetivo identificar por meio da reflectância acústica, discretas alterações de orelha média, não captadas à timpanometria, e que possam estar associadas a alterações nas emissões otoacústicas.Por ser uma abordagem recente, os programas de Graduação em Fonoaudiologia ainda não dispõem de condições de oferta de treinamento para o graduando para realização deste tipo de avaliação. Por outro lado, os hospitais e clínicas necessitam de profissionais para atuarem com estes procedimentos em populações específicas. Assim, é imperativo que o fonoaudiólogo tenha acesso a esta modalidade de capacitação em curto espaço de tempo, já que a falta do profissional com este perfil limita o atendimento oferecido pelos centros de investigação auditiva.Um Programa de Pós-Graduação -Nível Mestrado levaria pelo menos o dobro do tempo para formar este profissional, e ainda assim configurando ao mesmo, um perfil eminentemente acadêmico voltado ao ensino e pesquisa. Embora o Mestre em Fonoaudiologia seja também um profissional extremamente raro em nosso país, pela restrição na oferta de Programas de Pós-Graduação, não será este o candidato ideal às ofertas de trabalho visando a realização de Avaliação Audiológica por meio De Reflectância Acústica.Desta forma, considero válida a condição de Bolsa de Capacitação Técnica - Nível III para treinamento em Reflectância acústica para concessão ao candidato(a) a ser selecionado(a).O(a) Bolsista deverá desenvolver suas atividades junto ao Programa de Audiologia Clínica do Centro de Docência e Pesquisa em Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - CDP-FMUSP.Durante o período de capacitação estará atuando com procedimentos audiológicos de rotina, além do registro de Emissões Otoacústicas e sobretudo das medidas de reflectância acústica em dois diferentes grupos: GRUPO 1 - composto por participantes com alteração de orelha média uni ou bilateral evidenciada à timpanometria (15 indivíduos com Curva tipo B, 15 indivíduos com Curva tipo C e 15 indivíduos com Curva tipo Ad), reflexos acústicos ausentes nas freqüências de 500 a 4000 Hz e limiares auditivos até 35 dB. GRUPO 2 - composto por 30 participantes sem de alterações de orelha média constatada à timpanometria (Curva tipo A), reflexos acústicos presentes nas freqüências de 500 a 2000 Hz e limiares auditivos normais (0 a 20dB).A proposta de treinamento técnico prevê a realização de testes audiológicos (comportamentais e eletroacústicos) com o objetivo de verificar a ocorrência de alterações auditivas nesta população e comparar estes resultados nos diferentes grupos. Por meio desta atividade, a bolsista acumulará experiência quanto ao uso clínico de medidas de reflectância acústica e de emissões otoacústicas para investigação da audição.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.