Busca avançada
Ano de início
Entree

Veneno e toxina da aranha Phoneutria nigriventer: ação no sistema nervoso central

Processo: 10/05817-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Maria Alice da Cruz Hofling
Beneficiário:Leila Miguel Stavale
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/55748-1 - Veneno e toxina da aranha Phoneutria nigriventer: ação no sistema nervoso central, AP.R
Assunto(s):Barreira hematoencefálica   Neurobiologia

Resumo

A barreira hematoencefálica (BHE) é a interface entre a rede da microcirculação cerebral e o parêquima neural. É constituida pelo endotélio dos vasos, sua membrana basal, os pés vasculares dos astrócitos e os pericitos. Uma série de características estruturais e moleculares faz essa interface única em relação ao restante da microcirculação periférica. A BHE é altamente seletiva, veda o transporte paracelular e regula o transporte transcelular através de transportadores e receptores. O estudo da BHE é importante dentro da neurociência uma vez que doenças neurodegenerativas e outras neuropatologias podem estar ligadas à fragilidade da barreira. O estudo da BHE pressupõe aprendizado e desenvolvimento de técnicas (in vivo e in vitro) que revelem os mecanismos que levam à sua quebra. Estas técnicas podem ser bioquímicas, farmacológicas, moleculares e de biologia celular.