Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos mecanismos envolvidos no efeito analgésico induzido pela hemopressina em modelo experimental de dor crônica: participação de receptores canabinóides do tipo 1

Processo: 10/11046-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2010
Vigência (Término): 30 de abril de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Camila Squarzoni Dale
Beneficiário:Estefani Therezia Maique
Instituição-sede: Hospital Sírio-Libanês. Sociedade Beneficente de Senhoras (SBSHSL). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/53404-6 - Estudo dos mecanismos envolvidos no efeito analgésico induzido pela hemopressina em modelo experimental e dor crônica: participação do sistema endocanabinóide e de receptores canabinóides do tipo 1, AP.R
Assunto(s):Dor crônica   Analgesia   Receptor CB1 de canabinoide   Receptores de canabinóides

Resumo

Estudos realizados com receptores canabinóides têm levantado novas perspectivas sobre o potencial terapêutico desses receptores em diferentes patologias, principalmente aquelas de origem álgica. Nesse sentido, tem sido demonstrado que agonistas e antagonistas de receptores canabinóides são capazes de inibir dor experimental em diferentes modelos de avaliação da nocicepção. Dados obtidos por nosso grupo demonstram que a hemopressina, um peptídeo derivado da cadeia ± da hemoglobina, é capaz de inibir a hiperalgesia inflamatória em animais avaliados em diferentes modelos experimentais. Ainda, foi recentemente observado por nosso grupo que a hemopressina atua como um agonista inverso de receptores canabinóides do tipo 1 (CB1). No entanto, o efeito da hemopressina na dor crônica de origem neuropática, e os mecanismos envolvidos em seu efeito antinociceptivo, ainda não foram, até o momento, elucidados. Sendo assim, o objetivo deste projeto de pesquisa é investigar os mecanismos envolvidos na antinocicepção induzida pela hemopressina em modelo de dor neuropática. Para tanto será avaliada a participação de receptores CB1 e de canais iônicos neste efeito. Para a compreensão dos mecanismos envolvidos na via de analgesia será avaliada a participação de receptores vanilóides de potencial transitório do tipo 1 (TRPV1) e do sistema endocananbinóide. A metodologia a ser empregada envolve modelos in vivo de avaliação da sensibilidade e ensaios in vitro de imuno-histoquimica, imunobloting, ELISA em slice e eletrofisiologia os quais sinalizarão o grau de síntese proteica, bem como os possíveis receptores envolvidos fornecendo dados dos efeitos locais e de circuitos à distância do efeito da hemopressina. Ainda, na busca de uma substância com potencial terapêutico, serão avaliadas sequências miméticas à hemopressina nos modelos de nocicepção experimental. Os dados obtidos poderão potencialmente permitir uma melhor elucidação da eficácia de um peptídeo agindo diretamente em receptores CB1, proporcionando ferramentas adicionais para a compreensão da modulação do sistema endocanabinóide, bem como o descobrimento de novos candidatos a serem desenvolvidos como terapia no tratamento de patologias envolvendo receptores canabinóides. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.