Busca avançada
Ano de início
Entree

Arquivos da repressão e da resistência: mapeamento e análise da documentação dos fundos DEOPS/SP e DEIP/SP

Processo: 10/14925-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de setembro de 2010
Vigência (Término): 30 de junho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Maria Luiza Tucci Carneiro
Beneficiário:Mariana Amabile Boscariol
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/59726-7 - Arquivos da repressão e da resistência. Historia e memória. Mapeamento e análise da documentação do DEOPS/SP e DEIP/SP, AP.TEM
Assunto(s):Autoritarismo (sistemas de governo)   Ditadura   Resistência ao governo   Repressão política   Censura   Cultura política   Polícia política   Departamento Estadual de Ordem Política e Social (DEOPS)   Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP)

Resumo

Este projeto tem como objetivo dar continuidade ao mapeamento e análise das séries Prontuários e Dossiês do acervo DEOPS sob a guarda do Arquivo Público do Estado de São Paulo. Entre 1999-2004 esta proposta oficializou-se com o Projeto Temático FAPESP "Inventário DEOPS" que, além da digitalização de 183 mil fichas cadastrais, desenvolveu estudos e produziu manuais para a pesquisa histórica. Além do Fundo DEOPS, nos propomos também a inventariar o Fundo DEIP/SP cujos documentos permitem o cruzamento com fontes produzidas e confiscadas pela Polícia Política do Estado de São Paulo. Neste caso estaríamos avaliando a ação repressiva e censora de dois órgãos oficiais que, em distintos momentos, colaboraram para a construção das imagens de Nação moderna e da subversão, além de garantir a persistência de mitos políticos. Considerando-se as arbitrariedades praticadas pelos órgãos repressão, pretende-se uma análise detalhada da legislação brasileira com ênfase na realidade jurídica dos processos julgados durante o regime militar, analisando-se as garantias constitucionais, a vigência dos Atos Institucionais, a atuação das Forças Armadas e os mecanismos que buscavam legitimar a ditadura pelos grupos formuladores da estratégia psicossocial articulada no ideário militar, a partir do pensamento do General Golbery do Couto e Silva. Pretendemos produzir estudos que possibilitem a análise sistemática destes acervos e incentivem novas abordagens acerca dos mecanismos de repressão acionados pelos órgãos do Estado republicano. Cabe também reconstituir as estratégias de protesto, reivindicações e defesa dos grupos de resistência que atuaram em tempos de ditadura e de abertura democrática. Mais particularmente, nos propomos a historicizar as formas de catalogação da "delinquência subversiva" segundo a lógica da desconfiança endossada pela Polícia Política. Cabe aos nossos pesquisadores selecionar, identificar, reproduzir e analisar documentos produzidos pelo DEOPS e DEIP de forma a possibilitar a reconstituição e a escrita da história da repressão e da resistência através de estudos multidisciplinares. Além de manuais de pesquisa, pretendemos também a produção de uma documentação audiovisual e de documentários a partir da memória viva de protagonistas/vítimas da repressão à imprensa, aos seus trabalhadores e à liberdade de expressão e que foram símbolos da resistência civil à ditadura. Pretende-se a memória audiovisual através da documentação, inclusive fotográfica, existente nos arquivos em questão e de histórias de vida de jornalistas (redatores, repórteres, editores), repórteres fotográficos, diagramadores, trabalhadores da imprensa em geral, como trabalhadores gráficos, vítimas da ditadura e dos seus aparatos de vigilância e repressão, resgatadas através de depoimentos gravados em vídeo e da produção de documentários. (AU)