Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de fatores relacionados à ocorrência de Aflatoxina M1 no leite em microrregiões produtoras no Estado de São Paulo

Processo: 10/14880-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2010
Vigência (Término): 30 de setembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Claudia Rodrigues Pozzi
Beneficiário:Thiago Pereira Motta
Instituição-sede: Instituto de Zootecnia. Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Nova Odessa , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/05428-0 - Estudo de fatores relacionados à ocorrência de Aflatoxina M1 no leite em microrregiões produtoras no Estado de São Paulo, AP.R
Assunto(s):Aflatoxina M1   Células somáticas   Aflatoxinas   Micotoxinas

Resumo

O Brasil tem apresentado um crescimento constante na produção de leite, considerando-se o volume industrializado por estabelecimento sob inspeção federal, estadual e municipal. A produção de leite está distribuída por todo o país e a heterogeneidade dos sistemas produtivos é marcante. O estado de São Paulo produz apenas 7,5% da produção nacional de leite e importa de outros estados produtores em torno de 40% para o consumo interno. Considerando-se esses fatores, os diferentes níveis e sistemas de produção existentes e a recente legislação do MAPA sobre a qualidade do leite e detecção de resíduos químicos, há necessidade de se monitorar e estudar os fatores responsáveis pela presença de aflatoxina M1 no leite, em diferentes microrregiões produtoras, a fim de se traçar políticas públicas de controle da micotoxina nessas regiões e adequação aos níveis exigidos pela legislação internacional. Assim,serão monitoradas 09 propriedades de leite tipos "B" e "C" que entregam o produto para a Cooperativa Central de Laticínios (CCL) em São Paulo, responsáveis pela produção de 7000l diários de leite. As propriedades terão os seus sistemas de produção caracterizados, através de um questionário que será aplicado 48 horas antes do início da coleta de leite. Dessas propriedades serão avaliadas todos os quartos mamários de 15 vacas em lactação que recebem dieta relação volumoso: concentrado 50:50. Serão avaliadas para diagnóstico de mastite clínica através do Teste Tamis, mastite subclínica (CMT) e contagem de células somáticas (CCS). Amostras dos balões individuais, tanques de resfriamento também seram retiradas para detecção de aflatoxina M1 e contagem do número de células somáticas no leite. A dieta dos animais em lactação (15)(volumoso+concentrado) será avaliada 48 e 24 horas antes da coleta das amostras de leite para o estudo do perfil da microbiota fúngica e análise micotoxiclógica para determinação de aflatoxina B1, B2, G1 e G2 na dieta oferecida.