Busca avançada
Ano de início
Entree

Ensaio clínico com estimulação magnética transcraniana em pacientes com acidente vascular cerebral isquêmico

Processo: 10/15660-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2010
Vigência (Término): 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Adriana Bastos Conforto
Beneficiário:Sarah Monteiro dos Anjos
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/55504-0 - Ensaio clínico com estimulação magnética transcraniana em pacientes com acidente vascular cerebral isquêmico, AP.JP
Assunto(s):Acidente vascular cerebral   Reabilitação   Neuroestimulação   Neurologia   Estimulação magnética transcraniana   Reabilitação (terapêutica médica)

Resumo

O projeto foi iniciado em 2008. Acredita-se que a estimulação magnética transcraniana (EMTr) ativa de baixa frequência do hemisfério não afetado possa modular a inibição inter-hemisférica e, desta forma, levar a benefício na função do membro superior em pacientes com acidente vascular cerebral. Até o momento, 580 pacientes com acidente vascular cerebral foram triados e 27, incluídos no projeto. Pacientes foram aleatorizados para o tratamento com EMTr ativa ou placebo. A inclusão de mais pacientes e a coleta de dados de seguimento após o tratamento deverá ser feita até julho de 2011. A média de idade dos pacientes do grupo ativo foi 59,5±4,4 anos, e do grupo controle, 59,1±2,9 anos (média ± erro-padrão). No grupo ativo, a intervenção foi iniciada 26±3,4 dias após o AVC e no grupo controle, 26±1,9 dias. Não foram encontradas diferenças significativas quanto a características demográficas, comprometimento neurológico ou funcional entre os grupos. O desfecho primário do projeto foi a melhora em desempenho motor do membro superior parético, avaliado pelo teste de Jebsen-Taylor. Desfechos secundários foram a força do membro superior parético, escalas de comprometimento neurológico e funcional do membro superior, escalas de independência funcional, e excitabilidade corticomotora avaliada por estimulação magnética transcraniana com pulso único e pulso pareado (EMT). As seguintes medidas têm sido realizadas: limiar motor, amplitude de potenciais evocados motores, inibição intracortical, facilitação intracortical e período silente ipsilateral. Os desfechos foram avaliados: ao final do tratamento; trinta, noventa e cento e oitenta dias depois. Adicionalmente, medidas de força e de pontuação no teste de Jebsen-Taylor foram realizadas no primeiro e no quinto dia, após o início do tratamento. Em dezembro de 2008, o equipamento de EMT utilizado para a avaliação da excitabilidade corticomotora deixou de funcionar. Após tentativas de reparo, foi concluído que será necessário enviar o equipamento para a empresa responsável, no país de Gales. O equipamento utilizado para tratamento, adquirido através deste projeto, não foi afetado. Para evitar maiores atrasos no protocolo, optamos por continuar a pesquisa, sem a avaliação da excitabilidade cortical, para não comprometer a investigação do efeito da EMTr sobre o desfecho primário do projeto (habilidade do membro superior). Retomamos a realização das medidas em julho de 2010, após reparo do equipamento. Ainda que o tamanho da amostra limite o poder estatístico da análise, os resultados preliminares sugeriram maior melhora em desempenho no teste de Jebsen-Taylor no grupo ativo que no grupo controle, entre o final do tratamento e trinta dias depois. Os dados referentes ao seguimento posterior estão em fase de coleta. Em relação aos demais desfechos, não foram encontradas diferenças significativas entre os grupos, até o momento. Pretendemos incluir até mais 13 pacientes para a avaliação do desfecho principal. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ANJOS, SARAH M.; COHEN, LEONARDO G.; STERR, ANNETTE; DE ANDRADE, KARINA N. F.; CONFORTO, ADRIANA B. Translational Neurorehabilitation Research in the Third World What Barriers to Trial Participation Can Teach Us. STROKE, v. 45, n. 5, p. 1495-1497, MAY 2014. Citações Web of Science: 9.
CONFORTO, ADRIANA B.; ANJOS, SARAH M.; SAPOSNIK, GUSTAVO; MELLO, EDUARDO A.; NAGAYA, ERINA M.; SANTOS, JR., WALDYR; FERREIRO, KARINA N.; MELO, EDUARDO S.; REIS, FELIPE I.; SCAFF, MILBERTO; COHEN, LEONARDO G. Transcranial magnetic stimulation in mild to severe hemiparesis early after stroke: a proof of principle and novel approach to improve motor function. JOURNAL OF NEUROLOGY, v. 259, n. 7, p. 1399-1405, JUL 2012. Citações Web of Science: 50.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.