Busca avançada
Ano de início
Entree

Restrições intrínsecas e extrínsecas que influenciam nos movimentos de cabeça durante a coordenação viso-cefálica em lactentes a termo e pré-termo de 1 a 4 meses de idade

Processo: 10/19180-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 30 de setembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Eloisa Tudella
Beneficiário:Joice Luiza Bruno Arnoni
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/08375-5 - Restrições intrínsecas e extrínsecas que influenciam nos movimentos de cabeça durante a coordenação viso-cefálica em lactentes a termo e pré-termo de 1 a 4 meses de idade, AP.R
Assunto(s):Neuropediatria   Cinemática

Resumo

A literatura relata que fatores intrínsecos (alteração de tônus, imaturidade dos sistemasmúsculo-esquelético e neurológico) e extrínsecos (força da gravidade, período de internação)influenciam o desenvolvimento motor, podendo diferenciar o ritmo do desenvolvimento de lactentes a termo e pré-termo. Neste estudo nos propomos a avaliar a influência de fatores intrínsecos (idade gestacional) e extrínsecos (orientação corporal) no desenvolvimento do movimento de cabeça em lactentes a termo e pré-termo. Os objetivos específicos são: verificar e comparar a influência da orientação corporal na freqüência, trajetória de movimento, posição inicial da cabeça, amplitude e velocidades do movimento de cabeça. Os lactentes serão avaliados mensalmente nas idades de 1 a 4meses. Eles serão posicionados em supino na cadeira, com os marcadores em pontos pré-determinados (vértex do parietal e região lateral dos arcos zigomáticos) e submetidos a três condições experimentais: supina (S), encosto da cadeira a 0° com a horizontal; semi-flexão de pescoço (SP), encosto da cadeiraa 0° e pescoço semi-flexionado; reclinada (R), semi-flexão de pescoço e encosto da cadeira a 20°. Nas três condições experimentais será apresentado ao lactente um cartão de estimulação visual na direção de seus olhos a uma distância entre 25 e 40 cm de sua face. Quando fixar o olhar sobre o cartão, este será movido lentamente no plano transversal para que o lactente acompanhe seu deslocamento comolhos e cabeça. A avaliação será filmada por 3 câmeras digitais para a realização da análise cinemática e o tempo total da avaliação será de 7 minutos (2 minutos cada condição e intervalos de 20 segundos entre elas). Os resultados obtidos serão analisados entre os grupos, utilizando-se preferencialmente estatística paramétrica e com nível de significância de p< 0,05.