Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel dás estruturas glandulares dè Croton glandulosus L. (Euphorbiaceae) ná interação tritrófica: planta, predadores dè sementes pré-dispersão e respectivos parasitóides - üma proposta dè estudo interdisciplinar, produção dè material didático e divulgaçã

Processo: 08/10891-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2008
Vigência (Término): 30 de novembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Silvia Rodrigues Machado
Beneficiário:Yuri Fanchini Messas
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/52134-2 - Papel das estruturas glandulares de Croton glandulosus (Euphorbiaceae) na interação tritrófica: plantas, predadoras de sementes pré-dispersão e respectivos parasitoides: uma proposta de estudo interdisciplinar, produção de material didático e divulgação científica, AP.R
Assunto(s):Animais herbívoros   Interação   Secreção   Croton

Resumo

Título do projeto: Predação de sementes de Croton glandulosus: um processo de aprendizagem?Resumo: Dados preliminares apontam para a existência de predação preferencial de sementes em frutos tardios de C. glandulosus, que corresponde à menor quantidade de recursos disponível para a prole. Por meio de teste em campo, pretende-se testar esta hipótese e verificar se este padrão se altera diante da presença/ausência de néctar que condiciona a presença de visitantes, inclusive inimigos naturais dos predadores. Neste projeto, serão montados experimentos com coletas de dados sobre predação de sementes, entomofauna visitante e produção de néctar para compreender o padrão de predação. Plano de trabalho: Acompanhar a dinâmica da produção de néctar a partir de coletas regulares no campo; observar o comportamento e coletar, para identificação, a entomofauna visitante; acompanhar o desenvolvimento dos frutos e liberação de sementes, com respectivos registros de predação e parasitismo em campo e laboratório. No período dos experimentos as idas a campo serão diárias.