Busca avançada
Ano de início
Entree

Impactos da expansão da agroindústria da cana-de-açúcar sobre comunidades aquáticas

Processo: 10/19427-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 30 de junho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luis Cesar Schiesari
Beneficiário:Daniel Din Betin Negri
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/57939-9 - Impactos da expansão da agroindústria da cana-de-açúcar sobre comunidades aquáticas, AP.BIOEN.JP
Assunto(s):Ecologia de ecossistemas   Ecossistemas aquáticos   Biocombustíveis   Recursos hídricos   Impactos ambientais   Anfíbios

Resumo

O despertar de um novo paradigma no fornecimento de energia - os biocombustíveis - aponta para uma continuada expansão da agroindústria no Brasil no futuro próximo. O país, que tem condições geográficas e ambientais propícias e a mais eficiente indústria de etanol do mundo, está numa posição excepcionalmente favorável para assumir a liderança mundial nesta nova era. Ocorre que a agricultura é uma das atividades humanas mais danosas ao meio ambiente, estando diretamente envolvida na destruição de habitats nativos e na contaminação de recursos hídricos pelo uso de agroquímicos como fertilizantes e pesticidas. É inadmissível que o Brasil, entrando no século XXI ainda como detentor da maior biodiversidade e das maiores extensões de habitats tropicais nativos do planeta, e com a capacidade acadêmica e intelectual necessárias, perca a chance histórica de assumir também o papel de modelo mundial na relação do crescimento econômico com a preservação do meio ambiente. Este projeto propõe testar a hipótese de que a expansão da cana-de-açúcar tem impacto substancial sobre comunidades biológicas em ecossistemas de água doce, e que parte significativa destes impactos pode ser direta ou indiretamente atribuída ao emprego de agroquímicos. Mais do que documentar alterações, propõe entender os mecanismos através do qual estes impactos são gerados. Propõe também validar, para ambientes tropicais, metodologias de pesquisa empregadas em estudos ecológicos e ecotoxicológicos em ambientes temperados, bem como estabelecer as bases para o desenvolvimento de um sistema de bioindicação para a contaminação de corpos d´água por agroquímicos. Estas hipóteses serão testadas em programa de pesquisa abrangente envolvendo amostragem e experimentação em laboratório, mesocosmos e campo. Amostragens de comunidades de poças temporárias - incluindo algas, girinos e macroinvertebrados predadores - ao longo de um gradiente de degradação ambiental (cerradão e campo < pasto < plantação de cana-de-açúcar) revelarão padrões de associação entre uso do solo, propriedades físico-químicas do meio, e composição e estrutura de comunidades. Por sua vez, experimentos testarão a importância de agroquímicos na geração dos padrões observados, através de estudos em cenários experimentais múltiplos que permitam gerar uma linha de extrapolação de laboratório para campo, e estabelecer ligações claras de causa-e-efeito entre processos hipotetizados e impactos observados. O conhecimento gerado por pesquisas como a que aqui se propõe será importante para o desenvolvimento de melhores práticas no agronegócio e, portanto, para a sustentabilidade de atividades de produção de biocombustíveis. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.