Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação dos efeitos de bloqueadores das enzimas 5-alfa-redutase e aromatase na próstata de gerbilos em diferentes idades: estudo de elementos marcadores de estroma reativo prostático

Processo: 08/08529-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2008
Vigência (Término): 31 de março de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Sebastião Roberto Taboga
Beneficiário:Flávia Renata Cabral
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/00608-0 - Comparação dos efeitos de bloqueadores das enzimas 5-alfa redutase e aromatase na próstata de gerbilos em diferentes idades: estudo de elementos marcadores de estroma reativo prostático, AP.R
Assunto(s):Próstata   Hormônios esteroides gonadais

Resumo

Muitos processos morfofuncionais do tecido epitelial prostático são controlados por andrógenos e estrógenos, de modo sinérgico, através da produção pelo estroma adjacente de fatores estimuladores ou inibidores. Um desequilíbrio na interação homeostática entre epitélio e estroma prostático pode iniciar e promover carcinogênese nesse órgão. A ativação do estroma é um fator antecedente e crítico para a progressão e crescimento em adenocarcinomas. Vários cânceres humanos têm mostrado que a indução de uma reação estromal ou desmoplasia é um componente fundamental da progressão tumoral. Em tecidos específicos do corpo, o balanço entre andrógenos e estrógenos pode diferir significativamente daquele encontrado no plasma sanguíneo. As concentrações intracelulares desses esteróides nos tecidos alvos são reguladas por biossíntese e metabolismo local desses hormônios, altamente dependente de enzimas metabolizadoras específicas de esteróides, como a 5a-redutase (5a-r) e a Aromatase (Aro). Pesquisas com inibidores de enzimas metabolizadoras de esteróides vêm sendo cada vez mais desenvolvidas a fim de se tentar compreender e esclarecer os reais papéis enzimáticos na manutenção da fisiologia prostática, assim como no surgimento e desenvolvimento de doenças. O bloqueio da metabolização de hormônios esteróides na próstata deve ser, certamente, um instrumento importante para o estudo da interação epitélio-estroma tanto na fisiologia normal quanto nas doenças da glândula prostática e a associação desses resultados com a instalação de um aparente estroma reativo pode levar à obtenção de maior compreensão da biologia e patologias da próstata. Desse modo, os papéis dos andrógenos e estrógenos ativados podem ainda ser melhor compreendidos na manutenção das interações homeostáticas epitélio-estromais prostáticas. Com estas considerações, coloca-se como objetivo para esse projeto analisar histoquímica, imunohistoquímica e bioquimicamente as oscilações e ações dos hormônios esteróides, as expressões enzimáticas locais e as alterações fenotípicas e sinalizadoras das células e componentes da matriz extracelular na próstata de gerbilos adultos após bloqueio intraprostático das enzimas 5a-r e Aro, por ação das drogas Finasterida e Letrozol, respectivamente. O estabelecimento de modelos experimentais para o estudo das relações entre epitélio e estroma e o conhecimento dos componentes celulares e macromoleculares da próstata tornam-se instrumentos muito importantes para o entendimento do desenvolvimento, da estrutura e da fisiologia desta glândula. A ativação do compartimento estromal prediz ser o passo crítico para o crescimento e progressão de adenocarcinoma na próstata, porém, os mecanismos específicos desta ativação estromal e até que ponto o estroma regula a biologia da tumorigênese não estão ainda completamente esclarecidos.Como apresenta um ambiente enzimático capaz de gerar hormônios esteróides biologicamente ativos, o entendimento da interrelação da síntese local dos hormônios esteróides com a manutenção da homeostase entre epitélio e estroma prostáticos torna-se ainda mais fundamental.