Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo comparativo do uso de probiótico e monensina na prevenção da acidose láctica ruminal aguda em ovinos.

Processo: 10/13314-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de setembro de 2010
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Enrico Lippi Ortolani
Beneficiário:Isadora Karolina Freitas de Sousa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/08371-0 - Estudo comparativo do uso de probiótico e monensina na prevenção da acidose láctica ruminal aguda em ovinos, AP.R
Assunto(s):Doenças nutricionais e metabólicas   Prevenção   Ovinos   Acidose   Probióticos   Ionóforos

Resumo

O presente projeto visa avaliar comparativamente a eficácia de probiótico a base de levedura Saccharomyces cerevisiae e do ionóforo (Monensina sódica) na prevenção da acidose láctica ruminal aguda em ovinos, por meio de uma série de variáveis ruminais e sistêmicas. Serão utilizados 30 ovinos mestiços Santa Inês, providos de cânula ruminal, com cerca de 30 kg de peso vivo e 12 meses de idade. Os animais serão mantidos em gaiolas metabólicas e alimentados com dieta basal calculada em 2,7% do peso vivo e composta de 75% da matéria seca de feno de capim de coast-cross e de 25% de ração concentrada comercial contendo 14% de proteína bruta. Todos os animais irão passar por um período de 30 dias de adaptação às novas condições de manejo e alimentação, assim como a implantação cirúrgica de uma cânula ruminal. Após o período de adaptação, os 30 ovinos serão distribuídos aleatoriamente em três grupos com 10 animais cada, assim constituídos: Controle; Probiótico e Monensina. O grupo controle receberá apenas a dieta basal citada acima. O grupo Probiótico, terá a dieta basal suplementada com 1 g/ 100 kg peso vivo do probiótico Beef-Sacc®, contendo 5 x 106 de UFC de Saccharomyces cerevisiae. O último grupo receberá na dieta basal, a dose de 33 ppm de Monensina Sódica, segundo recomendação de Borges (2006). Após 30 dias do início do fornecimento do probiótico e do ionóforo, será realizada indução experimental de acidose láctica ruminal, em todos os animais, através da administração de sacarose diretamente no rumem, de acordo com protocolo descrito por Maruta e Ortolani (2002). Os animais que vierem a apresentar quadro clínico de acidose láctica ruminal aguda, bem como acidose sistêmica, serão realizados os tratamentos preconizados pela literatura a fim de evitar que o quadro dos mesmos se agrave e possa ocorrer eventuais perdas.