Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolado protéico de amaranto (Amaranthus cruentus L. BRS - Alegria): avaliação de suas propriedades funcionais e identificão de peptídeos bioativos.

Processo: 09/09687-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2009
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:José Alfredo Gomes Arêas
Beneficiário:Adriana Sabino Sotolani
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/03896-4 - Isolado protéico de amaranto (Amaranthus cruentus L., BRS-Alegria): avaliação de suas propriedades funcionais e identificação de peptídeos bioativos, AP.R
Assunto(s):Alimentos funcionais   Propriedades funcionais   Amaranto

Resumo

Doenças cardiovasculares constituem-se na maior de todas as endemias no século XX e são as principais causas de morte no Brasil e no mundo. O acúmulo atual de evidências epidemiológicas e clínicas estabelece claramente a associação entre doenças cardiovasculares, dieta, dislipidemia e aterosclerose, esta diretamente relacionada com a concentração de colesterol e de triglicérides no sangue. O organismo humano sintetiza grande parte do colesterol, sendo que o controle da sua concentração sérica ocorre principalmente através da regulação da captação das Lipoproteínas de Baixa Densidade (LDL), que são as principais transportadoras do colesterol endógeno. O aumento da quantidade de LDLs, bem como o aumento da quantidade de colesterol que as mesmas carregam, são os principais fatores de risco para a gênese da aterosclerose. Demonstramos o efeito hipolipemiante de alguns alimentos específicos e de seus componentes, sen do o amaranto (Amaranthus caudatus, A. cruentus, entre outras espécies de amaranto) o mais notável, com sua proteína capaz de reduzir rapidamente o colesterol elevado por dieta inadequada. Os mecanismos desta ação necessitam maiores investigações. Como o amaranto não é um alimento de hábito de consumo no Brasil é desejável a introdução do grão integral, ou da sua proteína, na nossa dieta. Também é fundamental o esclarecimento dos mecanismos pelos quais a proteína do amaranto atua tão eficientemente na redução do colesterol plasmático. Para tanto este projeto se propõe a caracterizar as propriedades funcionais da proteína isolada do amaranto visando sua aplicação, bem como o estudo de alguns mecanismos da sua ação no abaixamento do colesterol plasmático.