Busca avançada
Ano de início
Entree

Arquitetura de dossel e fotossíntese em genótipos de cana-de-açúcar

Processo: 10/02873-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de junho de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Convênio/Acordo: CNPq - Pronex
Pesquisador responsável:Rafael Vasconcelos Ribeiro
Beneficiário:André Luiz Barros de Oliveira Silva
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/57495-3 - Integrando características fisiológicas, morfológicas e anatômicas para entender o rendimento diferencial de sacarose em genótipos de cana-de-açúcar, AP.BIOEN.TEM
Assunto(s):Cana-de-açúcar   Genótipo   Dossel (botânica)   Sacarose   Saccharum

Resumo

O maior rendimento de sacarose em genótipos de cana pode ser alcançado pelo aumento da conversão de energia solar e/ou partição de fotoassimilados nos colmos. Fatores que levam ao aumento da produtividade das culturas devem ser estudados em nível da planta, considerando as possíveis interações entre a fisiologia, morfologia e anatomia da cana. Genótipos de cana com uma estrutura de dossel permitindo a incidência de mais energia luminosa na posição basal, provavelmente têm melhores desempenhos fotossintéticos. A área foliar ativa também determina a produção de fotoassimilados, no entanto, variedades de cana com mesmo índice de área foliar têm diferentes rendimentos de sacarose e de fitomassa. Essas diferenças estão provavelmente relacionadas à arquitetura do dossel, sendo assim, a variedade com maior rendimento de sacarose deve apresentar maior incidência de radiação solar na posição basal do dossel. Plantas com folhas eretas na posição superior do dossel têm uma melhor distribuição de energia luminosa entre as camadas do dossel. Como consequência, há aumento na produção de fotoassimilados e mais carboidratos estarão disponíveis para a produção de sacarose e/ou desenvolvimento da planta. Portanto, a hipótese é que os genótipos de cana-de-açúcar com folhas mais eretas na posição superior do dossel e/ou mais folhas horizontais na posição basal possuem maior produtividade e produção de fotoassimilados devido a melhorias no desempenho global de fotossíntese. Dessa forma, os genótipos decana de açúcar (Saccharum spp.) serão selecionados do programa Pro cana/IAC, considerando sua arquitetura da copa (levando em conta a exposição da folha na posição de topo do dossel) e a produção de sacarose. O presente estudo será realizado em condições de campo na Estação Experimental do IAC, em Campinas/SP, Brasil. Antes do início do experimento, será realizado manejo do solo (análises químicas e físicas e fornecimento de nutrientes), conforme recomendações para o cultivo da cana. O sistema de plantio da cana seguirá o procedimento convencional recomendado para o Estado de São Paulo. O campo experimental contará com sistema irrigação (gotejamento subsuperficial), necessário para evitar os efeitos negativos da seca e/ou eventos inesperados durante a fase inicial de desenvolvimento da cana. Serão realizadas avaliações das variáveis ambientais (temperatura do ar, umidade relativa, radiação global e fotossinteticamente ativa); morfológicas (área foliar, dimensão e ângulo de inserção foliar, número de folhas verdes, diâmetro e número de entrenós) e avaliações fisiológicas (trocas gasosas, fluorescência da clorofila, bioquímica da fotossíntese, clorofila e teor de nitrogênio foliar, potencial hídrico e teor de carboidratos foliares). Estas avaliações serão realizadas em duas posições da copa das plantas. O conteúdo de açúcar nos entre nós também será avaliado em cada nível do dossel. As análises tecnológicas da cultura serão realizadas no momento da colheita. (AU)