Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliações neuroanatômicas em saguis (Callithrix jacchus) epilépticos submetidos à injeção intra-hipocampal de vetor de adenovírus associado ao gene de neuropeptídeo Y

Processo: 10/18012-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Miriam Marcela Blanco
Beneficiário:Marilia Araujo Baldaia
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/53647-6 - Terapia gênica na epilepsia: ação antiepiléptica da injeção intra-hipocampal do Adenovirus (RAAV) associado ao gene de expressão do neuropeptídeo Y (RAAV-NPY) em saguis (Callithrix jacchus) submetidos ao modelo de pilocarpina, AP.JP
Assunto(s):Epilepsia do lobo temporal   Neuropeptídeo Y   Memória animal   Plasticidade neuronal   Saguis

Resumo

O neuropeptídeo Y (NPY) atua na regulação de processos epileptogênicos e nos déficit cognitivos que geralmente estão afetados na epilepsia. Neste trabalho, propomos investigar se a expressão de NPY, por vetor de adenovírus associado ao gene de NPY (AAV-NPY), injetado por via intra-hipocampal, pode melhorar ou até mesmo modificar a instalação da doença. Decidimos verificar a potencialidade na terapêutica pela administração de rAAV- NPY, na epilepsia do lobo temporal mesial, nos mecanismos neuroplásticos resultantes desta doença. O modelo experimental de pilocarpina é um modelo de plasticidade sináptica que leva a alterações persistentes nos níveis de atividade sináptica e ativa mecanismos moleculares tais como alterações; no sistema glutamatérgico e gabaérgico de neurotransmissão, nas cascatas intracelulares de sinalização, induzindo aumento dos níveis intracelulares de Ca2+, proteíno cinases, fosfatases, transcrição gênica e síntese de novas proteínas. Um conjunto de fatores de transcrição, proteínas e fatores de crescimento são conhecidos pela sua participação na plasticidade decorrente dos eventos epileptogênicos, entre eles c-Fos, delta-FosB, GAP-43 e BDNF. De outro lado a terapia com NPY parece ser responsável pela ação neuroprotetora e modificadora da doença. Assim sendo, determinar se essas alterações e os substratos anatômicos e funcionais, inclusive se este neuropeptídeos está envolvido na proteção da evolução da doença e as suas potencialidades de ação são de grande importância para o desenvolvimento de novas terapêuticas clínicas ou cirúrgicas e na criação de mecanismos de prevenção das mesmas. Descrição dos objetivos: avaliação neuroplástica e histológica dos animais epilépticos submetidos à ação do rAAV-NPY. Metodologia: os saguis serão injetados por via intra-hipocampal com AAV-NPY (2,7x1013 vg/mL, n=4) G-NPY e animais controles (G-CTL) com salina por via intra-hipocampal e posteriormente submetidos em ~2 meses depois, ao modelo de pilocarpina (250mg/kg ip.) para indução de epilepsia. Após a indução do Status epilepticus (SE) pela injeção de pilocarpina (PILO), alguns animais (grupo agudo) e outros animais serão filmados durante ~ 7 meses após a injeção de PILO (grupo crônico) e sacrificados e perfundidos transcardilamente para avaliação do dano neuronal (Fluoro-jade, NeuN e coloração de Nissl, NeoTimm), e avaliação dos níveis de NPY, c-Fos, delta-FosB, BDNF por imunohistoquímica e posterior contagem quantitativa ou qualitativa por microscopia confocal. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.