Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução molecular e genética de populações de genes HLA

Processo: 10/20531-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2011
Vigência (Término): 31 de agosto de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética
Pesquisador responsável:Diogo Meyer
Beneficiário:Gustavo Starvaggi França
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/09127-8 - Evolução molecular e genética de populações de genes HLA, AP.R
Assunto(s):Genética populacional   Antígenos HLA   Evolução molecular

Resumo

Há fortes evidências de que genes de função imunológica evoluem sob seleção natural. Isso resulta da coevolução entre sistema imunológico e patógenos. A seleção natural sobre a porção codificadora de uma das classes de genes de função imunológica, os genes HLA, está particularmente bem documentada. Entretanto, há importantes questões que permanecem em aberto. (a) Há seleção sobre as regiões reguladoras dos genes HLA? (b) Alelos que apresentam peptídeos semelhantes (ou seja, que pertencem a um mesmo "supertipo") são seletivamente equivalentes uns aos outros? (c) De que modo a seleção sobre genes HLA afeta a diferenciação entre populações? (d) Como a seleção positiva, atuando sobre genes HLA, influencia a dinâmica evolutiva de genes próximos? Para estudar esses temas, propomos a geração de novos dados de HLA para populações humanas, em combinação com análises bioinformáticas de dados já disponíveis. Quatro principais linhas de investigação serão desenvolvidas. (a) Propomos um estudo populacional das regiões reguladoras e codificadoras dos genes HLA de classe I clássicos (HLA-A, B e C) e de classe II (DPB1, DQB1, DRB1) em populações ameríndias (N=300), africanas, asiáticas e européias (N=230). Esses dados serão usados para testar a hipótese de que as regiões reguladoras também estão sob seleção natural. (b) Utilizando abordagens populacionais, testaremos a hipótese de que a seleção nos genes HLA maximiza especificamente a diversidade de supertipos. (c) Realizaremos a genotipagem de 50 microssatélites espalhados pelo genoma (N=140), e 20 na região MHC (N=300). Somados aos dados já disponíveis ou sendo gerados pelo nosso grupo, teremos 300 indivíduos com dados para microssatélites e genes HLA. Esses serão usados para investigar os efeitos da seleção natural sobre a diferenciação populacional. (d) Usando dados do genoma humano e do chimpanzé, e o grande número de SNPs catalogados no HAPMAP, investigaremos de que modo a seleção positiva, favorecendo variantes imunológicas específicas, afeta a variabilidade e diferenciação em regiões gênicas vizinhas. Todos esses subprojetos convergem para um tema comum, que é a compreensão do modo como a seleção natural atua sobre genes HLA, e de suas conseqüências evolutivas.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.