Busca avançada
Ano de início
Entree

Utilização de fungos de manguezais na biossíntese de nanopartículas de prata e sua aplicação na produção de tecidos antimicrobianos

Processo: 11/01269-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Pesquisador responsável:Ana Olívia de Souza
Beneficiário:Liu Yu Ping
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/50186-5 - Utilização de fungos de manguezais na biossíntese de nanopartículas de prata e aplicação na produção de tecidos antimicrobianos, AP.BTA.R
Assunto(s):Anti-infecciosos   Nanopartículas de prata

Resumo

Nanopartículas inorgânicas têm sido empregadas com grande eficácia em várias áreas das ciências biológicas, biomédicas e farmacêuticas. Dentre estas partículas, as nanopartículas de prata possuem propriedades antimicrobianas relevantes e podem ser utilizadas na preparação de materiais antimicrobianos como produtos de uso oral, eletrodomésticos, vestimentas e materiais cirúrgicos. O processo de preparação de nanopartículas de prata pela biossíntese de microrganismos é biotecnologicamente viável e caracteriza-se como uma área em ampla expansão com possibilidades de sucesso. Microrganismos de manguezais são responsáveis por transformações de nutrientes dentro desse ecossistema rico em processos bioquímicos e em intensa atividade microbiana.Considerando as perspectivas e a utilidade de novos materiais principalmente na área da saúde, esta proposta conjectura que linhagens de fungos isolados de manguezais podem apresentar características peculiares no processo de produção de nanopartículas de prata, por serem adaptados a um ambiente com condições extremas de sobrevivência.Linhagens de fungos coletadas de manguezais do estado de São Paulo e classificadas como potenciais produtoras de agentes antimicrobianos serão avaliadas quanto a capacidade de produção de nanopartículas de prata. As duas linhagens mais efetivas serão selecionadas para o estudo da participação de antraquinonas no processo de formação das nanopartículas e estas serão avaliadas quanto a ação antimicrobiana e adesão em tecidos. Técnicas físico-químicas e bioquímicas serão usadas como ferramentas para caracterização das nanopartículas e das proteínas que geralmente circundam essas partículas, em forma de um envoltório. Espera-se que os resultados contribuam para o entendimento do processo de formação de nanopartículas e que estas tenham aplicação na área de biomateriais.