Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle de parasitos gastrintestinais em ovelhas, suplementadas com silagem de amoreira e cana-de-açúcar

Processo: 11/06823-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2011
Vigência (Término): 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Ricardo Lopes Dias da Costa
Beneficiário:Miguel Alejandro Silva Rua
Instituição-sede: Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/54564-7 - Controle de parasitos gastrintestinais em ovelhas, suplementadas com silagem de amoreira e cana-de-açúcar, AP.R
Assunto(s):Haemonchus   Proteínas   Morus

Resumo

O principal fator que limita a produção ovina são as verminoses. A multirresistência, apresentada pelos nematóide aos diferentes princípios ativos, exige um enfoque específico para cada criação. Uma das formas de prevenção é a estimulação da imunidade natural do animal, chamada de imunonutrição. As proteínas são consideradas como sendo o principal fator limitante na dieta nos distúrbios causados por nematódeos. A suplementação de cana-de-açúcar é prática comum na estiagem, sendo, no entanto, um alimento desbalanceado e com baixa proteína. Por outro lado, a amoreira vem se destacando por sua alta aceitabilidade e digestibilidade, além de elevado teor protéico. Assim, a associação da amoreira com a cana-de-açúcar permite aumentar o teor de proteína bruta, além de aumentar a disponibilidade de parede celular. O objetivo desse trabalho será avaliar a suplementação de silagem de amoreira e cana-de-açúcar, nos parâmetros parasitológicos e hematológicos, em ovelhas Santa Inês, no periparto. O trabalho será conduzido no Instituto de Zootecnia de Nova Odessa/SP, com 60 ovelhas divididas em três tratamentos. O grupo controle (Trat 1) terá como suplemento apenas a silagem de cana, enquanto que os outros grupos receberão silagem de cana com amoreira nas proporções, respectivas, de 75:25 (Trat 2) e 50:50 (Trat 3). Pesagens e avaliação da condição corporal serão realizadas individualmente assim como coletas de amostras de fezes e sangue para realização de exames coprológicos e hematológicos, respectivamente, duas vezes por mês, totalizando 10 coletas. As variáveis analisadas serão peso, condição corporal, volume globular, proteína plasmática total, hemoglobina, leucócitos totais, eosinófilos e número de ovos por grama de fezes, e suas médias comparadas pelo test t. Serão calculados coeficientes de correlação entre todas as variáveis obtidas.