Busca avançada
Ano de início
Entree

Variabilidade espacial de tipos funcionais de plantas no bioma Caatinga para modelagem da biosfera

Processo: 11/07064-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2011
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Convênio/Acordo: FACEPE - ANR
Pesquisador responsável:Jean Pierre Henry Balbaud Ometto
Beneficiário:Suzana Maria Inácio de Carvalho
Instituição-sede: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). São José dos Campos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/52468-0 - Impactos de mudanças climáticas sobre a cobertura e uso da terra em Pernambuco: geração e disponibilização de informações para o subsídio a políticas públicas, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Interação biosfera-atmosfera   Relação solo-água-planta-atmosfera   Caatinga   Distribuição espacial   Vegetação

Resumo

Modelos de superfície de última geração, como o IBIS, utilizam a classificação de tipos funcionais de plantas (TFP) para agrupar espécies vegetais semelhantes e simular os fluxos de energia, água, matéria e momentum entre solo-planta-atmosfera. Nos ecossistemas de Caatinga, as paisagens estão dominadas por formações vegetais gramíneo-herbáceas e arbustivas. A dominância destas formações tem uma relação direita com as condições climáticas, edáficas e perturbações. Uma vez que arbustos e gramíneas diferem na sua habilidade de interceptar e absorver fótons e umidade, suas relativas composições podem ter efeito profundo no balanço de energia á superfície que pela sua vez, pode influenciar o clima regional e seu balanço hídrico. Sendo assim, o objetivo central desta proposta visa caracterizar os padrões de distribuição espacial dos tipos funcionais de vegetação na Caatinga usando séries temporais de dados de sensoriamento remoto. Os resultados obtidos permitirão melhorar a calibração e/ou ajuste dos parâmetros dos TFP da classe caatinga do modelo de superfície (IBIS-INLAND) o que contribuirá na melhora do desempenho do modelo nas simulações dos fluxos acima citados nos diferentes cenários que serão desenvolvidos no escopo do projeto maior. (AU)