Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo químico e biológico em Piper arboreum Aublet (Piperaceae)

Processo: 11/05482-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2011
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Maysa Furlan
Beneficiário:Caroline Varella Rodrigues
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Bioatividade   Química de produtos naturais   Piperaceae

Resumo

A atividade biológica de plantas medicinais tem sido objeto de intensa investigação científica uma vez que plantas superiores e aromáticas são amplamente utilizadas na medicina popular, por apresentarem amplo espectro de atividade e inibição comprovada contra bactérias e fungos (JOHANN et al., 2007). A maioria dessas propriedades é conferida por produtos do metabolismo secundário, como terpenóides e compostos fenólicos, que também na forma pura exibem atividade (FELIPPE et al.,2008; LAGO et al., 2004). Nesse contexto, a família Piperaceae é conhecida tradicionalmente como aromática, sendo o gênero Piper, o mais representativo da família, comum em matas de galeria, incluindo espécies já conhecidas como produtoras de óleos essenciais, fenilpropanóides, amida entre outros, tais como P. arboreum, Piper cernuum, P. hispidum, P. regnellii e P. tuberculatum (MORANDIM et al, 2010; PESSINI et al., 2005; MESQUITA et al., 2005; CONSTANTIN et al., 2001; SANTOS, 2001). Extratos de diversas espécies de Piper indicam aplicações medicinais e propriedades inseticidas, bactericidas e fungicidas (MORANDIM et al, 2010; COTINGUIBA et al, 2009; REGASINI et al., 2009; BATISTA JUNIOR et al, 2008; FELIPPE et al.,2008; NAVICKIENE et al., 2007; LAGO et al., 2004; SIVA et al., 2002; CONSTANTIN et al., 2001; NAVICKIENE et al., 2000; ALÉCIO et al., 1998, BALDOQUI et al., 1998) o que justifica o desenvolvimento do presente projeto que possui como objetivo investigar a composição química do extrato de polaridade média das folhas de Piper arboreum, procurando definir o perfil de seus metabólitos secundários e verificar quais desses metabólitos são responsáveis pela atividade inseticida, antifúngica e antioxidante.