Busca avançada
Ano de início
Entree

Moduladores vasculares de fibrose na fibrose pulmonar idiopática e na esclerose sistêmica: estudo das angiotensinas e dos vasos linfáticos

Processo: 11/06312-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2011
Vigência (Término): 30 de abril de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Edwin Roger Parra-Cuentas
Beneficiário:Aline Domingos Pinto Ruppert
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/53022-3 - Sinalizadores de lesão nas pneumonias intersticiais fibrosantes: impacto funcional e prognóstico, AP.JP
Assunto(s):Imuno-histoquímica   Vasos linfáticos   Angiotensinas   Escleroderma sistêmico   Morfometria   Fibrose pulmonar idiopática   Patologia

Resumo

Um aspecto importante na patogênese das doenças pulmonares fibrosantes é o processo de angiogênese que tem sido estudado, nos últimos anos, nos processos de cicatrização e fibrose como parte importante da deposição de matriz extracelular. A lesão da célula endotelial pode induzir a proliferação de fibroblastos, levando a uma excessiva produção de colágeno e conseqüentemente remodelamento tecidual que pode induzir a ativação do sistema imune, talvez perpetuando um ciclo fatal de fibrose para o paciente.Diversas evidências sugerem que existe uma disfunção na coagulação e na fibrinólise e um desbalanço na produção de diversas substâncias endoteliais que promovem a deposição de matriz extra vascular no compartimento alveolar em casos de fibrose progressiva podendo ser a causa do processo de fibrose. Sabemos que células alveolares epiteliais e endoteliais tem um papel fundamental na fisiopatologia da fibrose por secretar fatores tissulares que podem comprometer o reparo do parênquima pulmonar durante a lesão como é o caso do aumento da produção de angiotensinas (AGRT 1 e 2) que podem ser a causa inicial de um processo de fibrose. Todos esses fatores podem contribuir no desbalanço da produção de matriz extracelular dificultando mecanismos de defesa como a drenagem linfática aumentando ainda mais o dano inicial e contribuindo com o processo de fibrose. Desta forma, a matriz extracelular provisória, formada pela fibrina e pela fibronectina, depositada no espaço alveolar, após a lesão inicial, pode desencadear reparação fibrótica, o que resultaria no remodelamento do septo alveolar.OBJETIVOS1. Avaliar a participação do componente vascular em processos de fibrose pulmonar com ênfase nos casos de fibrose pulmonar idiopática e esclerose sistêmica; 2. Estudar a expressão de angiotensína I e II nos processos de fibrose pulmonar;3. Estudar a participação dos linfáticos no processo de fibrose pulmonar;

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PARRA, EDWIN ROGER; PINTO RUPPERT, ALINE DOMINGOS; CAPELOZZI, VERA LUIZA. Angiotensin II type 1 and 2 receptors and lymphatic vessels modulate lung remodeling and fibrosis in systemic sclerosis and idiopathic pulmonary fibrosis. Clinics, v. 69, n. 1, p. 47-54, 2014. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.