Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da associação entre epilepsia e Doença de Alzheimer em ratos Wistar audiogênicos (cepa WAR): um modelo genético de epilepsia

Processo: 11/00937-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2011
Vigência (Término): 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Norberto Garcia Cairasco
Beneficiário:Marilia Gabriella Alves Goulart Pereira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/50261-4 - Neurociências, epilepsia e arte: caracterização interdisciplinar da cepa WAR e modelos de epilepsia correlacionados: as oficinas Da Vinci, divulgação científica e quebras de estigmas em epilepsia, AP.TEM
Assunto(s):Doença de Alzheimer   Epilepsia   Neurofisiologia

Resumo

Tanto as epilepsias quanto a doença de Alzheimer são alterações neurológicas graves que somadas atingem cerca de 85 milhões de pessoas no mundo. As epilepsias são definidas como uma condição neurológica crônica caracterizada por crises epilépticas recorrentes, além de eventos eletrofisiológicos, moleculares, morfológicos, neuroanatômicos e comportamentais. A doença de Alzheimer é caracterizada pelo declínio progressivo e, em última análise, perda da função cognitiva que, em geral, acontece concomitantemente com os achados patológicos como as placas senis e os emaranhados neurofibrilares. Estudos recentes têm mostrado que crises epilépticas podem refletir processos fisiopatológicos similares ou sobrepostos com o declínio cognitivo na doença de Alzheimer, assim como diminuição da atenção, problemas de memória, linguagem e execução de tarefas podem acontecer em diferentes graus de gravidade dependendo do tipo de epilepsia. Apesar de existirem muitos estudos sobre a associação entre as epilepsias e a doença de Alzheimer, os mecanismos e as bases neurobiológicas dessa associação ainda são bastante discutidos. Um dos problemas envolvidos nestes estudos são os modelos animais utilizados, pois os modelos existentes para estudo da doença de Alzheimer apresentam um desenvolvimento agudo da doença. Por outro lado, os modelos utilizados para estudo da epilepsia envolvem muitas vezes fatores convulsivantes químicos ou elétricos e em animais normais. Assim os objetivos a serem realizados nesse estudo em um modelo genético de susceptibilidade às epilepsias e comorbidades associadas, a cepa WAR (Wistar Audiogenic Rats), são: 1) detectar marcadores da doença de Alzheimer durante a progressão da epileptogênese; 2) determinar os mecanismos moleculares envolvidos nessa associação. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.