Busca avançada
Ano de início
Entree

Ensaio de narradores na literatura argentina de 1970 a 2010: Luis Gusmán e Sérgio Chejfec

Processo: 11/06519-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 30 de novembro de 2011
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Literaturas Estrangeiras Modernas
Pesquisador responsável:Ana Cecilia Arias Olmos
Beneficiário:Ana Cecilia Arias Olmos
Anfitrião: Adriana Rodríguez-Pérsico
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidad de Buenos Aires (UBA), Argentina  
Assunto(s):Literatura argentina   Narrativa   Revistas   Ensaio literário

Resumo

Esse projeto de pesquisa pretende aprofundar os estudos que desenvolvo atualmente sobre o ensaio de narradores na literatura hispano-americana dos anos 1970 a 2010, com o propósito de refletir criticamente acerca de aspectos, problemas e debates que singularizam o discurso literário contemporâneo. Nessa oportunidade, vou me deter nas práticas de escritura dos autores argentinos Luis Gusmán (1944) e Sergio Chejfec (1956) que recortam posições singulares no campo intelectual argentino do período 1970-2010. Ambos os autores privilegiam a narrativa de ficção, mas deslocam-se com frequência para o ensaio, não apenas como uma forma de expandir suas próprias poéticas e refletir sobre elas, senão também como uma estratégia de intervenção nos debates estético-político do campo cultural argentino. A obra literária de Luis Gusmán que se inicia nos anos 1970 e, com singulares variantes, continua até hoje, apresenta-se pautada pela participação em algumas das revistas mais relevantes do período (Literal, Sitio e Conjetural) que definem posições críticas à ordem institucionalizada do literário e cultural e, mais recentemente, pela publicação de livros de ensaios e de caráter autobiográfico que desdobram reflexões, não menos instigantes, sobre o próprio fazer literário. No mesmo sentido, a obra literária de Sergio Chejfec inicia-se no final dos anos 1980 com a participação no efêmero grupo Shangai, na revista Babel e no suplemento cultural do jornal Tiempo argentino, espaços de debate que por essa época nucleavam escritores jovens que reativaram a agenda de temas a serem debatidos no campo literário. A trajetória desse escritor firmou-se a partir dos anos 1990 com a publicação de vários romances, de um livro de ensaios e de artigos críticos em outras publicações periódicas. A distância temporal que separa o surgimento das práticas literárias de Gusmán e de Chejfec, assim como a contemporaneidade que elas assumem atualmente, permite pensá-las como referências instigantes a partir das quais analisar as variantes que caracterizam a cena literária argentina das últimas décadas e tentar, assim, configurar a complexidade de debates e posições que a singularizam até hoje. A pesquisa será desenvolvida na cidade de Buenos Aires, Argentina, sob a supervisão da Dra. Adriana Rodríguez Pérsico, professora associada da cátedra de Teoria e Análise Literária da Universidade de Buenos Aires e pesquisadora independente do Conicet que, nos últimos anos, desenvolveu estudos relevantes sobre a literatura argentina atual a partir da obra de Ricardo Piglia. A permanência nessa instituição, entre agosto e dezembro de 2011, tem por finalidade estabelecer um diálogo com pesquisadores especializados em literatura argentina e teoria literária, facilitar o acesso a publicações periódicas do período que fazem parte dos acervos de diferentes bibliotecas públicas, adquirir alguns livros dos autores que são de difícil acesso devido à ausência de reedições, aceder à bibliografia crítica relativa à obra literária dos autores e participar de instâncias acadêmicas (seminários, congressos, conferências, etc) que abordem temas relativos ao campo literário atual desse país. (AU)