Busca avançada
Ano de início
Entree

Bradicinina como imunomodulador da resposta imune antitumoral

Processo: 11/07685-3
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Elaine Guadelupe Rodrigues
Beneficiário:Mariana Ferrazzo Souza
Instituição Sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/51423-0 - Peptídeos bioativos e peptidases: atividades biológicas e imunobiológicas em doenças infecciosas e no câncer, AP.TEM
Assunto(s):Melanoma   Células dendríticas   Oncologia   Macrófagos   Bradicinina
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:bradicinina | células dendríticas | Macrófagos | melanoma | Oncologia

Resumo

O melanoma é o mais letal dos tumores de pele, devido à elevada ocorrência de metástases, cujos tratamentos disponíveis apresentam baixa efetividade e um grande número de efeitos colaterais. Componentes do sistema imune, tanto da resposta inata como da adaptativa, reconhecem antígenos e destróem as células tumorais, no entanto, os mesmos frequentemente não conseguem controlar o crescimento tumoral, pois durante o desenvolvimento do tumor ocorre a indução de uma resposta do tipo Th2, supressora. Alternativas imunoterapêuticas indutoras de uma resposta do tipo Th1, reconhecidamente protetora, vem sendo avaliadas como adjuvantes de tratamentos convencionais. Em todas as etapas da progressão tumoral, ocorre a geração e a clivagem de fatores por enzimas proteolíticas, que são capazes de modular o desenvolvimento do tumor. Uma molécula modulada por proteases é a bradicinina (BK), um dos mediadores responsáveis pela angiogênese tumoral, e que também pode ter um papel na modulação da resposta imune devido à expressão de receptores (B1R e B2R) em células do sistema imune. Já foi demonstrado que células dendríticas estimuladas com BK produzem uma resposta Th1. Como o papel da BK como um fator modulador da resposta imune antitumoral ainda não é conhecido, este projeto tem como objetivo verificar a capacidade da BK em alterar o perfil Th2 produzido por células dendríticas e macrófagos, importantes células apresentadoras de antígenos, de animais onde o tumor está em desenvolvimento, para um perfil Th1 protetor no melanoma murino B16F10-Nex2.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)